Anvisa autoriza venda de medicamentos com maconha

No início desta semana a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou a venda de medicamentos feitos com maconha. Entretanto, a Agência arquivou a proposta que regulamentava o cultivo da cannabis feito por empresas.

A resolução que tratava do cultivo estabelecia regras rígidas para o plantio de maconha em solo brasileiro. Além de ser limitado a empresas, a maconha só poderia ser vendida para a indústria farmacêutica.

Ao comentar sobre a decisão da Anvisa, Renato Cinco lembrou que esta resolução não contemplava o direito do cultivo por pacientes individuais ou através de associações. Desta forma, o controle da cannabis ficaria com a indústria farmacêutica. Cinco também alertou para o perigo de diferenciar a legalidade da maconha de acordo com a concentração dos canabinóides.

“Tem gente que acha que existe o medicamento de CBD que não tem THC. As pessoas precisam enfrentar os seus preconceitos. O remédio é à base de maconha. O que acontece é a mudança da concentração de canabinóides. Para algumas terapias, é importante que a concentração seja maior de CBD. Em outras, a concentração maior tem que ser de THC. E existem aquelas que demandam uma concentração equilibrada de THC e CBD”, explicou Cinco.

Veja a íntegra do discurso:

A comercialização ocorrerá apenas em farmácias e drogarias sem manipulação, que venderão os produtos prontos. A regulamentação aprovada pela Anvisa tem validade de três anos, quando será submetida a uma avaliação de resultados.