Delator aponta corrupção no governo Crivella

A última terça-feira (10) começou com a polícia e o Ministério Público investigando um esquema criminoso que funciona dentro da prefeitura do Rio. A administração Crivella teria montado um balcão de negócios, com liberação de verbas mediante pagamento de propina.

A investigação tem como ponto de partida a delação premiada do doleiro Sérgio Mizrahy, preso pela operação Câmbio, Desligo no ano passado. O delator aponta o empresário Rafael Alves, irmão do presidente da Riotur, Marcelo Alves, como o operador do suposto esquema. O prefeito Marcelo Crivella também é alvo da investigação.

“Rafael Alves viabiliza a contratação de empresas para a prefeitura e o recebimento de faturas antigas em aberto, deixadas na gestão do antigo prefeito Eduardo Paes, tudo em troca do pagamento de propina”, declarou Mizrahy no anexo 15 da sua delação.

Ao comentar sobre a investigação, Renato Cinco apontou a necessidade da Câmara Municipal acompanhar as investigações deste caso, já que envolve diretamente o prefeito e a administração municipal. “Se o Crivella escapar desta sem que a Câmara faça a sua investigação será a desmoralização definitiva do parlamento carioca,” declarou Cinco.

Veja a íntegra do discurso: