Temperatura chega a 38º C no Círculo Polar Ártico e pode causar fome

O aquecimento global é uma realidade. As previsões dos últimos 30 anos têm se concretizado. A cada ano, institutos de meteorologia por todo o globo marcam as maiores temperaturas já registradas. A curva ascendente de aquecimento poderá trazer consequências ainda mais fatais do que a pandemia da Covid 19, que inclusive faz parte das mudanças climáticas.

Os termômetros da cidade siberiana de Verkhoyansk – localizada acima do paralelo 66º33′ e portanto já no círculo polar Ártico – exibiram 38oCelsius no último domingo, 21 de junho (o primeiro dia de verão no hemisfério norte). No solo, a temperatura chegou a 45o. Foram as maiores já vistas além do paralelo 66o33’. Vale dizer que Verkhoyansk é conhecida por ser uma cidade que teve a menor temperatura urbana do planeta, ela chegou a marcar 68o negativos.

Durante 2020, o calor no Ártico tem atingido valores maiores do que em 2019, que por sua vez era detentor das maiores temperaturas até então. Os incêndios florestais deste ano na Sibéria já estão sendo os mais graves da história e o nível de gelo nunca esteve tão baixo no Círculo Polar do Norte.

Segundo o pesquisador Eduardo Sá Barreto, é possível que a temperatura global aumente com mais intensidade depois do lockdown ocorrido na China por causa da pandemia de Sars-Cov2. Para o professor da UFF, apesar da inegável queda de emissão de gás carbônico, a parada na produção de aerossóis levaria ao aquecimento no curtíssimo prazo; isso acontece porque os aerossóis (provenientes da poluição industrial) causam resfriamento, mas são rapidamente consumidos pela atmosfera. Já o aumento de gás carbônico se mantém a médio e longo prazo. O pesquisador acredita que assim que os aerossóis da emissão até dezembro de 2019 forem consumidos, a temperatura terá uma elevação considerável.

Assista a entrevista de Eduardo Sá Barreto para o programa Quarentena Ecossocialista: https://www.youtube.com/watch?v=UITYshRTigY

O impacto mais imediato desse aumento poderá ser percebido na produção agrícola deste ano. A expectativa é que – caso as previsões de aquecimento se concretizem – as safras reduzam no Brasil e no mundo. É bastante possível que ela seja insuficiente para alimentação de todos em 2020.

A humanidade está alcançando seu limite.

Não há nenhuma saída possível dentro do capitalismo.

Nossa única alternativa é a superação do sistema econômico e a implantação de uma nova forma de organização social, democrática, igualitária e equilibrada.

Fonte:
Terra https://gooutside.com.br/verkhoyansk-na-siberia-registra-38c-maior-temperatura-da-historia-da-regiao/