Breque dos Apps: a luta continua

“Os caras gastam mais com propaganda do que para proteger os trabalhadores que estão se acidentando”. O depoimento que gera indignação em qualquer pessoa é de Matheus Sousa, jovem entregador de app do Distrito Federal que participou ativamente do processo de mobilização da categoria.

Matheus e dois jovens antifascistas do Rio de Janeiro e de São Paulo participaram de um bate-papo super importante na série Trabalho e Pandemia do canal do.trabalhador, no Youtube. Durante o programa ao vivo, eles fizeram um balanço da organização da categoria que emplacou duas paralisações de peso em julho. Quem perdeu, mas se liga no assunto e apoia o movimento pode conferir o debate em: https://www.youtube.com/watch?v=hE9sVUhGyQ4

Em discurso na Câmara Municipal na terça-feira (28), o vereador Renato Cinco incentivou a organização dos entregadores. “Ninguém precisava dos aplicativos! O que nós precisamos é dos restaurantes e dos entregadores. E eles podem arrumar outras maneiras de se organizar sem precisar dar milhões para parasitas feito Rappi, Ifood e Uber Eats” declarou Cinco.

Veja a íntegra da intervenção do Cinco em defesa da auto-organização dos entregadores:

Você conhece o Despatronados? Então, “pega a visão”!

A categoria de entregadores de aplicativos está se organizando para criar soluções contra as taxas abusivas e a exploração praticada pelos serviços de entrega como Ifood e Uber Eats. No Rio de Janeiro, nasceu o Despatronados, que é organizado por entregadores e já cobre bairros de todas as regiões da cidade. Por trabalhadores, para trabalhadores é o lema: https://despatronados.wixsite.com/cooperativa?fbclid=IwAR3JpEghUtSJH_8u6O6ZkaBln5kNd2gHuDt33VQENiaFbvXQUb2wjJL4w88

É resistência, é breque dos apps!