Crivella é alvo de investigação outra vez

As práticas autoritárias de Marcelo Crivella, que chegou ao ponto de contratar capangas para coagir a população e jornalistas na porta de hospitais, não são novidade no país que nunca garantiu democracia para todos.

Em sessão da Câmara, Renato Cinco lembrou que ações autoritárias, praticada por agentes públicos, são frequentes nas regiões mais pobres. Cinco citou um artigo de Pedro Serrano, publicado na revista Carta Capital, ele trabalha o conceito de “autoritarismo líquido”, que opera disfarçado de democracia.

“Aquilo que aconteceu com os jornalistas da Globo é muito pouco perto do que acontece com o cidadão comum quando esse questiona a atuação da PM ou quando tenta se defender de uma remoção ilegal feita pela prefeitura”, declarou Cinco.

Veja a íntegra do discurso do Cinco:

Autoritarismo líquido

As práticas autoritárias de Marcelo Crivella, que chegou ao ponto de contratar capangas para coagir a população e jornalistas na porta de hospitais, não são novidade no país que nunca garantiu democracia para todos.Renato Cinco lembrou que ações autoritárias, praticada por agentes públicos, são frequentes nas regiões mais pobres. Neste contexto, Cinco citou um artigo de Pedro Serrano, na revista Carta Capital, que trabalha o conceito de "autoritarismo líquido", que opera disfarçado de democracia."Aquilo que aconteceu com os jornalistas da Globo é muito pouco perto do que acontece com o cidadão comum quando este questiona a atuação da PM ou quando tenta se defender de uma remoção ilegal feita pela Prefeitura," declarou Cinco.#EquipeCinco

Publicado por Renato Cinco em Terça-feira, 8 de setembro de 2020

Na manha de quinta-feira (10), o Ministério Público do Rio de Janeiro e a Polícia Civil fizeram uma operação contra a corrupção. Ao todo, foram 22 mandados de busca e apreensão de documentos, computadores, celulares e dinheiro na sede administrativa da prefeitura, no bairro Cidade Nova e no Palácio da Cidade, em Botafogo, na Zona Sul. Um deles é contra o prefeito Marcelo Crivella (Republicanos). Os investigadores também foram até a casa de Crivella, no condomínio Península, na Barra da Tijuca.

A gente segue em luta contra a política genocida do prefeito – o Rio bate recorde de mortes por Covid-19 – e torcendo para que as investigações avancem. Fora Crivella!