Manifesto de lançamento da pré-candidatura de Tarcísio Motta ao governo do Rio pelo PSOL-RJ

O Rio de Janeiro é modelo e laboratório nacional de políticas públicas voltadas aos interesses dos grandes negócios. Em resposta a isso, vivemos em 2013 as maiores mobilizações do país, que tiveram início com importantes lutas desde o início do ano, como a resistência à privatização do Maracanã e na luta da Aldeia Maracanã/Escola Frienderich/Celio de Barros/Julio Delamare, passando pelos protestos contra a Copa e grandes mobilizações em defesa da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados contra os fundamentalistas, que a tomaram graças a um acordo com o governo Dilma. Chegamos assim às jornadas de Junho e à histórica greve dos profissionais da educação. Fruto da mobilização de amplos setores sociais, vivemos um ano repleto de acontecimentos que modificaram substancialmente a conjuntura política e agora exige de nós a capacidade de ousar e aprofundar a experiência rebelde de 2013. Sem dúvida, muito desta rebeldia germinou a partir da vitoriosa campanha da Primavera Carioca e precisamos seguir neste caminho que faz da luta eleitoral uma possibilidade para fortalecer as mobilizações e o avanço das consciências.

Assim, se somos palco de medidas de repressão e criminalização dos/as trabalhadores/as e das nossas formas de luta, de privatização dos bens e serviços públicos, da militarização de territórios, somos também o laboratório da rebeldia popular. O papel do PSOL, portanto, é de dialogar com o espírito das ruas e estar ao lado dos/as lutadores/as contra o avanço do capital por todo o estado. Este ano nossa militância esteve presente nas grandes mobilizações populares, mas é fundamental que nas eleições do ano que vem nossas candidaturas e programa reflitam, traduzam e fortaleçam a resistência e a rebeldia da população fluminense.

No cenário eleitoral que começa a se desenhar para 2014, as candidaturas dos partidos da ordem, tanto do governo quanto da oposição de direita, expressam a continuidade das políticas rejeitadas pela população nas ruas e da coalizão desses partidos com os grandes interesses privados, o fundamentalismo religioso  e as oligarquias econômicas e políticas do estado.

Nascido e criado em Petrópolis, Tarcísio Motta é professor de História formado pela UFF, leciona no Colégio Pedro II e por muitos anos foi da Rede Municipal de Caxias. Sua trajetória é marcada pela militância sindical e pela defesa da educação pública, autônoma e emancipatória. Foi secretário de imprensa do SEPE Central de 2009 a 2012 e, anteriormente, foi diretor do SEPE Caxias durante nove anos, sempre presente nas lutas e nas salas de aula. Em 2013 foi candidato a Reitor do Colégio Pedro II unificando todos os setores progressistas daquela instituição e alcançando o 2º lugar com 48,9% dos votos.

Com grande capacidade de diálogo e peça fundamental na luta da categoria dos profissionais da educação, Tarcísio Motta esteve e está sintonizado com as mobilizações nas ruas. O PSOL precisa de um candidato com o seu perfil, com origens no movimento sindical e com forte interação com a juventude, atento às resistências das opressões transversais, como a luta das mulheres, LGBTs e negros e negras, e capaz de representar um programa socialista e libertário que se contraponha ao modelo de desenvolvimento em curso no estado, altamente impactante social e ambientalmente.

Estes são alguns dos motivos para lançarmos a pré-candidatura de Tarcísio Motta a Governador pelo PSOL/RJ. Acreditamos que seu nome é aquele que reúne maiores condições para refletir o acúmulo das lutas e representar o PSOL enquanto partido combativo e de lutas, que está ao lado dos/as trabalhadores/as e explorados/as e de todos  os setores oprimidos da sociedade, e contra a retirada sistemática de direitos que vivemos no Rio de Janeiro. Em uma conjuntura eleitoral na qual diferentes candidaturas representam o mesmo projeto do capital, Tarcísio Motta é um nome capaz de expressar o conjunto da atuação do PSOL nos movimentos e lutas sociais, junto a nossa promissora chapa de candidatos às eleições proporcionais. Representa, portanto, a melhor opção que temos no PSOL para cumprir o papel de diálogo com a população e setores organizados da luta social a partir de um programa que reflita seus anseios e dialogue com suas reivindicações.

Assinam:

– Vereador do Rio de Janeiro Renato Cinco

– Vereador de Niterói Henrique Vieira

– Deputado Estadual Marcelo Freixo

– Deputado Federal Jean Wyllys

– Alessandra Nicodemos – Profa da Faculdade de Educação da UFRJ

– Alexandre Bastos – Prof Rede Municipal de Caxias

– Alice Gomes – TAE Colégio Pedro II

– Allan Mesentier – Presidente PSOL Rio de Janeiro

– Ana Regina Vasconcelos Bastos – Profa Aposentada CAP UERJ e Pedro II

– André Viana Dantas – Servidor da Escola Politécnica Joaquim Venâncio/Fiocruz

– Antonio Henrique Campello – Movimento pela Legalização da Maconha

– Bruno Bimbi – Executiva Estadual PSOL/RJ

– Carolina Monteiro – Profa Colégio Pedro II (Realengo)

– Claudia Trindade – Prof Rede Municipal Rio de Janeiro

– Daniel Mazola – Conselheiro da ABI

– Elizabeth Soares Dutra – Servidora do Colégio Pedro II

– Erik Schunk – Vice-Presidente PSOL Campos dos Goytacazes

– Fabio Pereira – Membro da Direção Provisória do PSOL-Caxias e assessor do Deputado Federal Chico Alencar

– Felipe Bilanger Rimes – Coletivo Nós Não Vamos Pagar Nada da UFF

– Filipo Tardim – Prof. Rede Municipal de Caxias

– Flavia de Assis Carvalho – Profa Colégio Pedro II

– Flávio Serafini – Presidente PSOL Niteroi

– Gilberto Rodrigues (Gil) – SEPE/Magé

– Gloria Vianna – Profa Colégio Pedro II (Humaitá)

– Guilherme Marques (Soninho) – IPPUR

– Gustavo Nascimento Lopes – FAETEC Paracambi

– Ivanete – SEPE/Caxias

– Jessica Pietrani – Coletivo Nós Não Vamos Pagar Nada da UFF

– José Antônio Martins Simões – Professor da UFRJ

– Julia Bustamante – DCE UFRJ

– Juliana Neto – Ensp/Fiocruz

– Leo Mosquito – Presidente PSOL Macaé

– Lia Rocha – Profa UERJ e diretora da ASDUERJ

– Luiza Aquino – DCE UFRJ e Coletivo Nós Não Vamos Pagar Nada da UFRJ

– Luiza Chuva – Profa. Rede Municipal do Rio de Janeiro

– Magali Engel – Profa. CAP UERJ

– Manoela Pedroza – Profa. IFCS/UFRJ

– Marcelo Costa da Silva – Prof. do Pedro II e Faetec/Coordenador-Geral do Sindpefaetec

– Marco Aurélio (DJ) – Fórum de Grêmios de Magé

– Marcos Mineiro – Presidente PSOL Volta Redonda

– Marcos Santanna – Professor do Colégio Pedro II

– Marcus Menezes – Coletivo Ilha do Governador

– Mariana Bruce – Núcleo Zona Oeste II

– Marisa Gonzaga – SEPE/Caxias

– Marta Moraes – SEPE/São João de Meriti

– Miguel Borba Sá – Núcleo Largo do Machado

– Mirna Freira – SEPE/Central

– Paula Máiran – Presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio de Janeiro

– Pedro Campos – Prof da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ)

– Regina Helena Simões Barbosa – Profa UFRJ

– Roberto Morales – Comitê Popular Rio Copa e Olimpíadas

– Rogério Alimandro – Presidente PSOL Estadual Rio de Janeiro

– Rosemary Barbeito – Professora Colégio Pedro II

– Sandra Carvalho – Coordenadora da Justiça Global

– Sergio Costa – Prof CEFET/RJ

– Silvana Bandoli Vargas – Profa Colégio Pedro II

– Simone Kabarite – Jornalista

– Sirley Antunes – Presidente PSOL Casimiro de Abreu

– Soneli Antunes – SEPE/Caxias

– Tadeu Lemos – Diretor da UNE – Oposição de Esquerda

– Talíria Petrone – Executiva do PSOL Estadual Rio de Janeiro / Executiva PSOL Niterói

– Thiago Melo – Instituto de Defensores dos Direitos Humanos – DDH

– Verônica Fernandes – Instituto de Saúde Coletiva (UFF) e diretora da ADUFF

– Wesley Teixeira – Coordenador da UEDC

– William Carvalho – TAE Colégio Pedro II e Coordenador do Sinasefe