São Paulo marchou em defesa da legalização da maconha

No último sábado (26), a Marcha da Maconha de São Paulo escreveu mais um capitulo na história da legalização. Pontualmente às 16h20, cerca de 15 mil manifestantes deixaram a concentração no MASP e partiram em passeata até a praça Praça Roosevelt. O vereador Renato Cinco (PSOL) acompanhou a manifestação e encontrou com militantes que ajudaram a formar o Bloco da Esquerda Canábica.

A “linha de frente” da Marcha era formada por pacientes e familiares beneficiados com o uso medicinal da maconha. A união deste grupo ganhou força com a repercussão do caso Anny, uma criança de 5 anos que teve uma radical redução nas crises de epilepsia após iniciar um tratamento com o canabidiol.

Durante o trajeto de quase 3 km, a Marcha passou pelas ruas sem tumulto ou detenções. Diferente de outros anos, a PM paulista enviou um número reduzido de agentes, que apenas controlavam o fechamento das ruas. Em vários momentos foi cantando “que coincidência, sem polícia não tem violência”.

O maio verde nem começou e ainda teremos dezenas de Marchas em todo Brasil.