Literatura da legalização

A defesa da legalização da maconha não é apenas uma bandeira de usuários interessados na proteção do próprio hábito. Durante a sessão plenária de quinta-feira (08), o vereador Renato  Cinco fez um discurso abordando o fracasso da política de proibição das drogas e apresentou alguns livros que tratam dessa questão.

O fracassado do proibicionismo é responsável pelo fortalecimento de organizações criminosas, que estabelecem um mercado sem nenhuma regra de produção e venda das drogas, e que se tornou violento justamente por conta das ações de repressão e disputa entre quadrilhas. O encarceramento em massa de pequenos traficantes foi o objeto de estudo no mestrado do delegado Orlando Zaccone, que virou o livro “Acionistas do nada – Quem são os traficantes de drogas”.

A proibição da maconha também é perversa por impedir o avanço de pesquisas e da utilização desta erva para fins medicinais. No livro “Maconha, Cérebro e Saúde”, dos neurocientistas Renato Malcher e Sidarta Ribeiro, são  descritos todos os benefícios terapêuticos da cannabis e sua utilização milenar na história da humanidade.

Renato Cinco falou ainda sobre a história da Marcha da  Maconha, que começou nos anos 90 em Nova York e hoje é  realizada em mais de 40 países. No Brasil, é realizada em mais de 30 cidades.