Educadores mantém greve

Os profissionais de educação lotaram mais uma vez a assembleia da categoria, que aconteceu na última quinta-feira (22), no Clube Hebraica, em Laranjeiras. A maioria dos presentes votou pela manutenção da greve, que já dura mais de 10 dias.

Na pauta de reivindicações estão: 20% de aumento para a categoria; a criação de um Plano de Carreira Unificado; aplicação da lei de 1/3 de planejamento extraclasse; o não repasse das verbas públicas para empresas, bancos, organizações sociais e fundações; 30 horas para funcionários; e o reconhecimento do cargo de cozinheira.

Após a assembleia, mais de mil educadores saíram em passeata até o Palácio Guanabara, sede do governo estadual. O vereador Renato Cinco (PSOL) participou do protesto.

Os profissionais de educação, que fizeram uma greve histórica no ano passado, voltaram a suspender as atividades porque a prefeitura descumpriu o acordo firmado no STF.

Na última semana, o Ministro Luiz Fux, mediador do primeiro encontro no STF, voltou a convocar uma reunião entre as partes, mas o convite foi feito em cima da hora, impossibilitando a presença da direção do SEPE. Mesmo com a ausência justificada, o Ministro agiu de forma descompensada e atacou os representantes legítimos da categoria, condenando a greve.

Na sexta-feira (23), os profissionais acompanharão a Audiência Pública sobre a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), que será realizada na Câmara de Vereadores. No sábado (24), a categoria fará um “rolezinho” no Norte Shopping.

No próximo dia 28 (quinta-feira), a Secretaria Municipal de Educação receberá representantes do SEPE para uma audiência. Na quinta-feira (29), às 11h, acontecerá mais uma assembleia da categoria. O local ainda será definido.