Profissionais de educação decidem continuar em greve

Em mais uma assembleia, os profissionais de educação decidiram continuar em greve. O grupo se reuniu na Associação Brasileira de Imprensa (ABI). Entretanto, o auditório lotou e os trabalhadores decidiram transferir o encontro para a praça em frente ao antigo prédio do Ministério da Educação e Cultura (MEC). O vereador Renato Cinco (PSOL) participou do evento, manifestando apoio à luta dos educadores.

Na última terça-feira (03), a categoria denunciou a violência da polícia num lindo, criativo e irreverente ato. O objetivo era também criticar o Tribunal de Justiça, que declarou a greve ilegal.

Na semana passada, o Comando de Greve e a direção do SEPE pediram ajuda ao nosso gabinete. A ideia era de que, junto com DIEESE, calculássemos dados orçamentários que justificassem as reivindicações da categoria, como o reajuste de 20%, a implantação do 1/3 de planejamento e a diminuição do número de alunos por turma.

Na próxima terça-feira (10), haverá nova audiência entre o governo e a categoria.  Diante disto, a categoria realizará, na sexta-feira (13), uma nova assembleia.