Só a luta muda a vida!

Em um processo eleitoral marcado pelo abuso do poder econômico, pelo avanço do fundamentalismo religioso, pela ausência de um posicionamento claro sobre propostas e programas nas principais candidaturas, o desempenho do nosso ainda pequeno mas tão necessário PSOL merece ser comemorado.


Nacionalmente, nossa candidata Luciana Genro teve mais de 1 milhão e 600 mil votos, ficando em quarto lugar, atrás apenas das candidaturas milionárias, bancadas por grandes corporações, empreiteiras e bancos.

No Rio de Janeiro, Tarcísio surpreendeu a todos com uma campanha que encantou milhares de pessoas. Mesmo sem praticamente nenhuma cobertura da mídia grande, sua participação nos debates foi fundamental, onde soube defender e apresentar com maestria uma alternativa para o nosso estado.

Não poderia deixar também de agradecer enormemente os 27.965 votos que obtivemos para Deputado Federal, que nos colocaram na primeira suplência. Desde o início, procuramos fazer uma campanha coletiva, trazendo a tona os debates que consideramos mais importantes para o país, como a auditoria da dívida pública; as reformas agrária e urbana para democratizar o acesso à terra e à moradia digna; a luta pela legalização e por outra política de drogas; a desmilitarização das polícias e o fim do controle militar-autoritário sobre as favelas; a defesa de uma educação pública de qualidade e libertária; o fortalecimento do SUS; a defesa integral dos direitos humanos para todos e todas, entre outros.

Fizemos uma campanha militante, sem contratar panfleteiros, baseada em debates.  Mesmo sem aceitar dinheiro de empresas, contando apenas com a contribuição voluntária de pessoas comuns, rodamos diversas cidades e bairros. E desde o início, como colocamos inclusive nos nossos materiais de campanha, afirmamos: só votar não basta. Nós acreditamos na construção de uma sociedade livre de qualquer forma de opressão e exploração. E para isso acontecer é preciso que as pessoas se organizem e atuem de forma coletiva pelas transformações sociais necessárias. Assim, continuaremos a colocar o mandato na Câmara de Vereadores a serviço da luta. Afinal, como bem disse o professor Tarcísio: SÓ A LUTA MUDA A VIDA!