Mais um mês de descontos nos salários dos professores grevistas

Além de não pagar o mês de julho, quando muitos educadores tiveram seus salários zerados, a Secretaria Municipal de Educação voltou a aplicar descontos nos vencimentos dos profissionais da área neste mês de agosto. Os descontos são mais uma arbitrariedade da Prefeitura. A medida contraria o próprio Estatuto do Servidor Municipal, que restringe os débitos a, no máximo, 10% por mês.

No dia 23 de julho, uma liminar do Tribunal de Justiça determinou que a Prefeitura devolva o dinheiro descontado dos profissionais de educação que participaram do movimento grevista. A liminar também considerou que nenhum educador pode ser considerado inapto para o exercício de sua função, até que haja um julgamento definitivo sobre a legalidade ou a ilegalidade da greve. O Poder Executivo Municipal apresentou um recurso, questionando a decisão. O julgamento será realizado em quinze dias.

A pressão precisa continuar para que a secretaria desista dessas punições descabidas.