Ato, arte e festa marcaram o Dia Nacional de Luta Antimanicomial

No dia 17 de maio, sexta-feira, aconteceu o ato pelo Dia Nacional da Luta Antimanicomial (18 de maio), organizado pelo Núcleo Estadual do Movimento da Luta Antimanicomial (NEMLA), junto com o coletivo de organização do 18 de Maio. Com o lema “Pelas ruas e becos da cidade: liberdade. Contra a privatização e o encarceramento da vida”, a atividade reuniu usuários, trabalhadores, militantes, artistas, passantes e loucos de todo tipo, impregnando os viadutos da Praça XV de cores e sons, de luta e de poesia.

Mesmo com a chuva, cerca de 400 pessoas passaram pela atividade, que contou com apresentações musicais de bandas e blocos da saúde mental, intervenções poéticas e falas de militantes do Movimento Antimanicomial, da Frente Estadual Drogas e Direitos Humanos e do Fórum de Saúde do Rio de Janeiro, reunidos na luta por uma sociedade sem manicômios.

Momento de destaque foi a bela performance em solidariedade aos trabalhadores e usuários do CAPS Luís Cerqueira, primeiro CAPS do Brasil, que vem enfrentando graves dificuldades decorrentes do processo de privatização. O CAPS Itapeva, como é conhecido, há quatro anos passou a ser gerido pela Organização Social SPDM – OS responsável também pela gestão de inúmeras unidades de saúde do Rio de Janeiro – e teve recentemente parte significativa do seu quadro de trabalhadores demitida em massa, por diferenças em relação à gestão, caracterizando perseguição política. O episódio foi nomeado pelos trabalhadores como uma verdadeira “caça às bruxas”, e a carta de denúncia elaborada por eles foi lida, junto com uma intervenção poética, simbolizando os corpos dos trabalhadores e usuários sendo varridos e aviltados.

A Frente Estadual Drogas e Direitos Humanos lançou a campanha “Chega de recolhimentos e internações forçadas – Por uma cidade de direitos”. A campanha pretende denunciar os retrocessos nas políticas sobre drogas e de saúde mental, esclarecendo e questionando o que vem ocorrendo nas ruas da cidade com as políticas de recolhimento compulsório.

Leia mais na matéria da Justiça Global.

No sábado (18/05), ainda como parte das atividades pelo Dia da Luta Antimanicomial, aconteceu na Lapa a festa “Pelos bares e becos da cidade: liberdade”, que inaugura uma temporada de festas antimanicomiais na cidade. Este ano acontecerá o Encontro Nacional do Movimento da Luta Antimanicomial no Rio de Janeiro, as festas serão uma das formas de arrecadação de fundos para o Encontro. O Brechó Madame Surtô foi outra atividade inaugurada pelo NEMLA por esses dias, prometendo ainda surtar muito com suas aparições pela cidade a partir deste mês de maio.