Fora Julien Blanc

PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO Nº 113/2014

EMENTA:

DECLARA PERSONA NON GRATA DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO JULIEN BLANC

Autor(es): VEREADOR RENATO CINCO

A CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO

D E C R E T A :

Art. 1º Fica declarado Persona Non Gratado Município do Rio de Janeiro JULIEN BLANC.

Art. 2 º Este Decreto Legislativo entra em vigor na data de sua publicação.

Plenário Teotônio Villela, 12 de novembro de 2014.

Vereador RENATO CINCO (Psol)

JUSTIFICATIVA

A presente proposição pretende tornar persona non grataJulien Blanc. Esse cidadão norte americano pretende vir ao Rio de Janeiro no próximo ano para proferir cursos que prometem ensinar homens a conquistar mulheres. Tais palestras apresentam táticas tais como a de ignorar quando mulheres dizem não à aproximação sexual, ofensas racistas, ataque à autoestima das mulheres dentre outras agressões. Todas essas expressões de abuso estão disponíveis em inúmeros vídeos na internet.

Enquanto o Brasil tenta avançar no combate à todas as formas de violência contra as mulheres, é inadmissível que um indivíduo que exalte práticas abusivas seja recebido pelos cidadãos brasileiros proferindo palestras que caminham na contramão do combate permanente à violência sexista.

A cidade do Rio de Janeiro, em especial, apresentou um aumento preocupante nos índices de violência contra a mulher. Pesquisas do ISP (Instituto de Segurança Pública do Rio de Janeiro) trazidas no Dossiê Mulher 2013 relatam que somente em 2012 o somatório dos casos de ameaça, estupro, tentativa de estupro, homicídio doloso, tentativa de homicídio e lesão corporal dolosa foi de 45 449 ocorrências registradas.

No nosso entendimento a presença do Sr. Julien Blanc e suas palestras podem incentivar e popularizar a prática do desrespeito e da violência contra a mulher em nosso país. Não podemos admitir que esta violência seja legitimada através de uma dissimulada “tática de paquera”.

Julien Blanc teve seu visto cancelado e foi extraditado da Austrália, no Reino Unido teve eventos cancelados assim como em diversos outros países por considerarem que as suas aulas exaltam a cultura do estupro, crimes de agressão emocional e física, o racismo e o profundo desrespeito pelas mulheres. Tanto no Brasil quanto em vários outros países, foram colhidas petições pela negação do visto de Julien. Até o momento a petição online que circula no Brasil já está com 165.266 assinaturas.

Mais do que repudiar a conduta de Julien especificamente, esta iniciativa tem o propósito de se opor à propagação de uma cultura de violência e desrespeito contra as mulheres no Brasil.