Uma noite da luta feminista

A entrega da medalha Chiquinha Gonzaga à psicóloga e ativista Luciene Lacerda lotou o antigo comitê de campanha de Renato Cinco (PSOL) e coloriu a noite da última segunda-feira (09).

A medalha foi uma homenagem à Luciene e à Marcha das Mulheres Negras. Diversas militantes feministas e contra o racismo prestigiaram o evento.

O vereador Renato Cinco (PSOL) lembrou a importância da homenagem, neste momento em que todas as formas de preconceito estão mais evidentes:
“É uma honra entregar a Medalha Chiquinha Gonzaga para a Luciene Lacerda, em homenagem também à Marcha das Mulheres Negras. É uma honra em função tanto do que significa a Luciene, para a luta política na nossa cidade, no nosso país, mas também pelo o que significa a Marcha das Mulheres Negras, especialmente nesta conjuntura cada vez mais complicada na política brasileira. Esta cerimônia é uma homenagem e também uma manifestação de solidariedade do nosso mandato às lutas das mulheres, às lutas das mulheres negras.”

Luciene é uma das organizadoras da Marcha e militante de diversos movimentos sociais. Desde 1991, prioriza a luta feminista e anti-racista. Luciene lembrou a luta da atual geração e das anteriores:
“Neste momento, a medalha Chiquinha Gonzaga está em minhas mãos, mas ela é da Marcha. Apesar das leis que a gente construiu, elas não são implantadas. A gente não quer mais morrer no parto; a gente não quer mais uma bala nas costas dos nossos companheiros, irmãos e filhos; a gente quer uma educação de qualidade; a gente quer legalização do aborto.”

A “Marcha das Mulheres Negras 2015. Contra o Racismo e a Violência e Pelo Bem Viver” vai acontecer, pela primeira vez, no dia 18 de novembro. O ato é uma resposta ao racismo e ao sexismo, que determinam as relações de poder e limitam o exercício de direitos, especialmente para as mulheres negras. São elas que carregam o fardo mais pesado, fruto de desigualdades e preconceitos.

A homenagem terminou com a batucada e a ginga do grupo Afro Lage.