Daciolo, pegue o seu mandato e saia do PSOL

Na última terça-feira (10), o deputado federal cabo Benevenuto Daciolo (PSOL) disse que apresentaria uma PEC alterando o texto da Constituição, que passaria a vigorar com a redação “Todo o poder emana de Deus”, em lugar da atual “Todo poder emana do povo”.

A indignação nas redes sociais foi imediata. Filiados/as, simpatizantes e eleitores/as do partido manifestaram revolta e perplexidade. O vereador Renato Cinco (PSOL) postou nota pedindo a saída do parlamentar: “Daciolo, pegue seu mandato e saia do PSOL. Seu lugar não é aqui.” Diante das reações, e após uma reunião da bancada federal do partido, o bombeiro decidiu recuar.

Mesmo assim, frente ao ocorrido e ao histórico do deputado, que já colidiu em diversos momentos com a linha partidária (defendeu um militar à frente do Ministério da Defesa; posou para foto ao lado do principal porta-voz da extrema direita brasileira, Jair Bolsonaro, etc.), uma enorme parcela da militância está pedindo o seu afastamento do PSOL.

Respeitamos todas as religiões, mas defendemos a laicidade do Estado – uma conquista democrática, que permite a existência, sem discriminações, de todos os credos no país.

Leia abaixo a nota do vereador Renato Cinco (PSOL) e a carta da Direção do PSOL-RJ:

Daciolo, pegue seu mandato e saia do PSOL. Seu lugar não é aqui

Desde que foi eleito deputado federal o cabo Daciolo já tirou foto com o Bolsonaro, defendeu um militar no Ministério da Defesa e agora apresentou proposta de emenda constitucional para “alterar a redação do parágrafo único do artigo 1° e afirmar que todo o poder emana de Deus, que o exerce de forma direta e também por meio do povo e de seus representantes.”

Isso tudo é absolutamente contra o programa e a linha política do PSOL que defende o estado laico e a desmilitarização da sociedade.

A permanência do cabo Daciolo no PSOL é uma contradição insolúvel e a Direção Nacional precisa afastar imediatamente o deputado.

Entretanto, acho que os eleitores do cabo não podem ser penalizados e ele deve permanecer com o mandato.

Eu não compactuo com nenhuma violação da laicidade do estado e apresentei, em maio de 2014, um projeto de resolução que altera o texto de abertura das sessões da Câmara Municipal.

Atualmente o presidente da sessão diz “Invocando a deus pela grandez da pátria e a paz entre os homens, dou por aberta a sessão”.

Com a nossa proposta o presidente, ao abrir a sessão, pronunciará o seguinte: ‘Em busca da cidadania e da dignidade da pessoa humana, dou por aberta a sessão’.

O projeto ainda está em tramitação e ainda não foi votado na Câmara Municipal.

Renato Cinco

O poder emana do povo!

Em pronunciamento na tribuna da Câmara dos Deputados, o parlamentar Daciolo Benevenuto, eleito pelo PSOL-RJ, defendeu a alteração do texto constitucional para estabelecer que “todo o poder emana de Deus, que o exerce de forma direta e também por meio do povo e de seus representantes”. Não é a primeira vez que o parlamentar faz intervenções com posições adversas às do PSOL. Na diplomação não teve constrangimento em tirar foto com o fascista Jair Bolsonaro, na mesma semana em que a bancada do PSOL pedia a cassação dele por sua apologia ao estupro.

O PSOL é um partido que tem programa e uma militância engajada na sua construção. Temos princípios, valores e convicções que nos colocam ao lado de todos os setores oprimidos. Defendemos a liberdade de crença e não crença. Combatemos o fundamentalismo religioso e o messianismo. Somos radicais na defesa da absoluta laicidade do Estado.

O PSOL se opõe a qualquer concepção totalitária e antidemocrática de poder, a todas as formas de opressão e discriminação e ao militarismo. Somos um partido com identidade – socialista e libertário!

Num momento em que, novamente, querem que o povo pague pela crise provocada pelo grande capital; quando os trabalhadores mais precisam de unidade para enfrentar os ajustes do governo Dilma e o cinismo da oposição de direita, o deputado se lança em mais uma cruzada de lógica fundamentalista.

Respeitamos a legitimidade do mandato do deputado Daciolo, conquistado pelo voto popular. Contudo, a atuação do parlamentar, nesse pouco tempo, tem revelado incompatibilidades com o partido.

O parlamentar, mais uma vez, demonstra não ter identidade com a sigla pela qual concorreu. Ao propor o fim do estado laico abandona os princípios republicanos, ofende a democracia e ignora a soberania popular.

Se ele não se sentir a vontade para defender o programa do PSOL, a busca de outro partido, nos parece, deve ser seu caminho natural.

Executiva Municipal do PSOL Carioca
Executiva Estadual do PSOL RJ