Eduardo Paes quer restringir a campanha eleitoral durante as Olimpíadas

dudu-olimpicoA prefeitura do Rio inovou. Além de propor a alteração do calendário escolar e de decretar pontos facultativos ao funcionalismo público, agora quer restringir a campanha eleitoral de 2016. As medidas fazem parte do “Pacote Olímpico”, apresentado na sexta-feira (20).

O secretário especial de Coordenação de Governo, Pedro Paulo Carvalho (PMDB), disse, em entrevista coletiva, que a ideia é cancelar a exibição da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão, impedir a fixação de placas de candidatos e proibir a campanha nas ruas durante os jogos. Para o braço direito de Eduardo Paes, “A cidade vai estar tão linda, tão preparada, que não faz sentido misturarmos as eleições”.

Em discurso no plenário da Câmara, o vereador Renato Cinco (PSOL) ironizou a proposta:
“O secretário acha que a democracia é feia.” Para Cinco, a proposta visa, usando as Olimpíadas como pretexto, esvaziar o processo eleitoral, favorecendo o candidato da situação, que continuará aparecendo na mídia, junto com Paes, ao longo da competição. Veja a fala completa do parlamentar no vídeo abaixo:

As medidas devem ser apresentadas ao governo federal, à Justiça Eleitoral e a representantes dos partidos políticos, já que não podem ser aprovadas em âmbito municipal.

O Rio de Janeiro foi palco de grandes eventos nos últimos anos. Os moradores da cidade viram o maior estádio do mundo ser reformado três vezes; a construção de equipamentos esportivos, que se tornaram elefantes brancos; a falta de transparência nos gastos públicos; a expulsão dos mais pobres para a periferia; e um verdadeiro caos no trânsito. Esconder o processo eleitoral é apenas mais uma das medidas antidemocráticas desta gestão.