A saída é pela esquerda!

1Os governos de Dilma, Pezão e Eduardo Paes jogam a conta salgada da crise nas costas dos trabalhadores e do povo pobre. Eles impõem aumentos de tarifas, inflação, arrocho salarial, redução de direitos trabalhistas e cortes na Saúde, na Educação (R$ 7 bilhões só nessa área), na Previdência e nos programas sociais. Em nosso Estado, Pezão cortou R$ 547 milhões da Educação. Já nos 43% do PIB referentes aos juros e amortização da dívida pública… Ah, nisso ninguém mete a mão, porque beneficia o mercado financeiro, os bancos que, ano após ano, batem recordes de lucratividade às custas do povo.

Tanto o governo Dilma, como a oposição de direita, capitaneada por Aécio, estão a favor dessa política de castigar os de baixo para sair da crise! (Como PSDB e PT provaram e provam em seus governos) O PSOL é diferente: está na luta e nas ruas para derrotar a política de ajuste do governo federal, dos governadores e prefeitos.

Enquanto isso, a quadrilha de fundamentalistas que tomou o Congresso Nacional tenta impor uma agenda de retrocesso. Em vez de se preocupar em enfrentar a crise, se aproveita dela para promover seus projetos retrógrados: uma emenda à Constituição com redução da maioridade penal que visa a uma ainda maior criminalização da juventude negra e pobre das periferias; um Estatuto da Família que discrimina as famílias homoafetivas; um Estatuto do Nascituro que abre brecha para a perseguição de mulheres; sem falar na continuidade da estúpida guerra às drogas e seus usuários e à subordinação do Estado a uma determinada visão religiosa.

Por tudo isso, estamos chamando um ato para a quinta-feira (16), na Cinelândia, contra o arrocho e o corte de direitos, contra a agenda conservadora dos fundamentalistas do Congresso e pelo fim do financiamento empresarial das campanhas eleitorais.

Venha conosco e com os movimentos sociais lutar pela revogação dos aumentos de luz, água, ônibus, barca e pedágios, por mais recursos para a saúde e a educação, por reajustes salariais para os trabalhadores, contra as demissões e as medidas que retiram direitos, pela suspensão do pagamento e auditoria pública da dívida e por uma reforma tributária mais justa para o cidadão.

Ato “A saída é pela esquerda!”

Dia 16 de abril (quinta-feira), às 18h, na Cinelândia

Contra os aumentos de preços e tarifas e as demissões!
Não ao “ajuste” de Dilma e Levy!
Não à redução da maioridade penal! Não ao Estatuto da Família!
Não ao PL 4330/ 2004!
Ocupar as ruas por mais direitos, contra a direita!
A saída é pela esquerda!

Presenças confirmadas de Luciana Genro, Tarcísio Motta, Marcelo Freixo, Renato Cinco, Chico Alencar e Jean Wyllys!

Evento no facebook