Manifesto ao PSOL

web02Na sexta-feira (28), às 18h30, militantes do PSOL se reunirão no Instituto de Filosofia e Ciências Sociais para o lançamento carioca do “Manifesto ao PSOL”. Tal documento é fruto de debates e reflexões de diversos militantes, figuras públicas e correntes internas sobre o futuro do partido.

A construção desse documento foi motivada, principalmente, pelo V Congresso Nacional do PSOL, que acontecerá em dezembro de 2015. O processo congressual é um período de discussões sobre os rumos do partido e, justamente por isso, é um momento crucial para que se reivindique um PSOL que se mantenha inserido e referenciado nas lutas sociais, com perfil anticapitalista e funcionamento democrático.

O “Manifesto ao PSOL” expõe o desejo de milhares de militantes de que o partido siga se construindo como uma referência de esquerda e que, assim, esteja em condições de dar conta das tantas tarefas que virão.

Mais informações sobre o lançamento no evento.

Manifesto ao PSOL

Estamos às vésperas do V Congresso do PSOL. Um período de elaborações, debates e definições de rumos abre-se em nosso partido. Não começamos agora: o PSOL tem mais de dez anos em que nossa construção precisou de coragem e ousadia para manter de pé as bandeiras de justiça, igualdade, socialismo e liberdade, quando muitos afirmavam o fracasso da mobilização e da organização como forma de conquistar outro futuro.

Foram tempos muitas vezes difíceis, mas fundamentais para que nosso partido existisse e se enraizasse, com um perfil coerente de esquerda que não se rendeu. Nossos militantes estiveram nas ruas em junho de 2013 e nas lutas que se abriram desde então: centenas de milhares de jovens, novos movimentos sociais e políticos, categorias de trabalhadores que reocuparam a cena em greves e marchas multitudinárias, ativistas LGBTs, mulheres, negros e antiproibicionistas em defesa de bandeiras democráticas, gente simples do povo defendendo seus interesses e direitos.

O PSOL está inserido nestas lutas e buscando construir uma alternativa anticapitalista e democrática para o Brasil, inspirado na dura reconstrução dos ideais socialistas Nas várias campanhas de 2014, em particular com a candidatura da companheira Luciana Genro à presidência, começamos a romper o cerco da burguesia e ampliar nosso diálogo com a sociedade e o apoio às nossas propostas.

Em 2015, o esgotamento do modelo econômico, político e social-liberal levado adiante pelo PT nos últimos 12 anos revelou-se por inteiro. No entanto, a burguesia nacional e estrangeira, alimentada no período anterior por lucros recordes, isenções fiscais, crédito subsidiado, endividamento das famílias e pelo criminoso serviço da dívida – que arranca mais de 40% do orçamento anual todos os anos, continua exigindo mais.

A crise que atinge em cheio o Brasil revela o caráter das opções e do programa de Dilma e do PT: os trabalhadores e o povo são atacados de forma brutal e inaudita pelo ajuste conduzido por Levy. Cortes bilionários no orçamento, em especial nas áreas sociais, restrições ao seguro-desemprego e às pensões, aumento de juros, tarifaço e carestia para o povo, em contraste com o anúncio de novos números bilionários de lucros dos banqueiros.

Para ler o Manifesto na íntegra e assiná-lo, basta acessar o link: http://manifestoaopsol.com.br/