Estudantes ocupam escolas em São Paulo

6Com os jornais lotados de notícias ruins, a resistência dos estudantes secundaristas de São Paulo tem acontecido sem a devida atenção. O levante contra o projeto do governador tucano Geraldo Alckmin, que pretende fechar 94 unidades de ensino, começou no dia 9 de novembro, quando 18 alunos ocuparam o refeitório da Escola Estadual Diadema. Mais de 60 escolas foram ocupadas contra a reestruturação da rede.

Em discurso no plenário da Câmara Municipal, o vereador Renato Cinco destacou a resistência dos secundaristas de São Paulo e lembrou que a política de reestruturação do ensino público também está ocorrendo no Rio de Janeiro.

“Uma proposta da reestruturação, proposta pela Secretaria Municipal de Educação (do Rio de Janeiro), diz respeito à transferência do 6º ano do ginásio para o primário. Isso não é apenas uma mudança de prédio! É uma mudança profunda na metodologia de ensino que aquele estudante vai receber! O 6º ano, no ginásio, significa o 6º ano com um professor para cada disciplina! O 6º ano, sendo empurrado para o primário, significa que cada turma terá um professor para todas as disciplinas, como acontece no resto do primário,” explicou .

Veja a íntegra do discurso:

Cinco também cobrou o envio do Plano Municipal de Educação para a Câmara Municipal, que deviria ser votado até o final de julho deste ano. Existe o receio do projeto ser enviado para análise dos vereadores nos últimos dias deste período legislativo, para ser votado às pressas, dificultando a análise critica do mesmo.

“A Secretaria fez um processo de debate antidemocrático, que não ouviu a comunidade escolar, em função do prazo do dia 24 de julho, para o PME estar aprovado nesta Casa! O dia 24 de julho já passou há muito tempo! E até agora a Secretaria não enviou o projeto para a Câmara Municipal,” cobrou.