Em defesa da reforma psiquiátrica

O movimento antimanicomial ligou o sinal de alerta com as mudanças feitas no comando político da área de saúde mental do Ministério da Saúde. A nomeação de Valencius Wurch para o cargo de Coordenador Nacional de Saúde Mental coloca em risco todas as conquistas da reforma psiquiátrica.

Neste contexto, a Comissão de Saúde da ALERJ vai realizar uma Audiência Pública na próxima sexta-feira (18), às 16h, para debater a mudança. Valencius Wurch foi convidado para participar da atividade. No mesmo dia, o movimento antimanicomial está organizando uma manifestação, com concentração na Cinelândia, às 14h, para acompanhar a Audiência.

A Rede Nacional Internúcleos da Luta Antimanicomial (RENILA), juntamente com o Movimento Pró-Saúde Mental do DF, trabalhadores e trabalhadoras, familiares e pessoas atendidas pela Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) ocupou, na terça-feira (15), a sala da Coordenação Geral de Saúde Mental do Ministério da Saúde, em protesto contra a nomeação de Valencius.

Desde o Governo Collor, a Coordenação Nacional de Saúde Mental foi ocupada por pessoas alinhadas à reforma psiquiátrica. Agora, o escolhido é um ex-diretor da clínica Dr. Eiras, que foi um dos maiores manicômios privados da América Latina.

Infelizmente, este não é o único legado negativo do governo petista para a luta antimanicomial. As comunidades terapêuticas foram reconhecidas como parte da Rede de Atenção Psicossocial, através da Portaria 3.088 de 2011: uma medida contrária aos princípios da reforma psiquiátrica.

Assine a petição contra a nomeação de Valencius Wurch para a Coordenação Nacional de Saúde Mental:

http://www.peticaopublica.com.br/pview.aspx?pi=BR87077