Vila Autódromo ganha novo plano popular de urbanização

4A Vila Autódromo passou por uma semana intensa, marcada pela demolição da Associação de Moradores, do centro religioso da Yalorixá Luizinha de Nanã e pela quase demolição da casa da moradora Maria da Penha Macena, conhecida como “Dona Penha”. Nosso mandato esteve presente e acompanhou de perto essas ofensivas da prefeitura. No sábado (27), houve a apresentação da versão 2016 do Plano Popular de Urbanização da Vila Autódromo, com a presença de centenas de pessoas.

O Plano, feito a partir da parceria entre os moradores e as Universidades UFF e UFRJ, é fruto de muito debate e atende às necessidades dos moradores, contemplando a possibilidade de uma moradia digna, em um local com infraestrutura, saneamento e espaços de lazer. Sua versão inicial foi lançada em 2012, mas ele foi sendo reformulado para compatibilizar a permanência do máximo possível de casas, com as intervenções que a Prefeitura sinalizava para a área em função das obras do Parque Olímpico.

Cerca de 300 pessoas estiveram na Vila Autódromo para acompanhar a demarcação dos lotes que dariam lugar à implementação do plano, e defender essa proposta popular de urbanização. Além de um diverso grupo de apoiadores, a atividade contou com a presença da equipe do Plano Popular, formada por integrantes do NEPLAC/ETTERN/IPPUR (Núcleo Experimental de Planejamento Conflitual do Laboratório Estado, Trabalho, Território e Natureza do IPPUR da UFRJ) e do NEPHU (Núcleo de Estudos e Projetos Habitacionais e Urbanos da UFF). Estavam presentes também a Defensoria Pública Estadual do Rio de Janeiro, através do NUTH (Núcleo de Terras e Habitação), e o Defensor Público Geral do Estado. O deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL), os vereadores Babá (PSOL) e Reimont (PT), e o deputado federal Chico Alencar (PSOL), além do nosso mandato, representado pelo vereador Renato Cinco (PSOL) e alguns de seus assessores, também participaram da atividade.

Durante a apresentação, o urbanista Carlos Vainer, coordenador do NEPLAC, afirmou que “são os moradores que decidem os objetivos e como o plano será feito! (…) O Plano Popular rejeita a remoção involuntária dos moradores! (…) Moradia não é uma casa, é um espaço social, é uma vivência coletiva da cidade”.

O Prefeito Eduardo Paes, entre outras autoridades como o COI (Comitê Olímpico Internacional), recebeu dos moradores, através de um ofício enviado pelo Presidente da Associação de Moradores, o convite para participar do lançamento. Porém, apesar de já ter se manifestado publicamente em várias oportunidades no sentido de que “quem quiser ficar na Vila Autódromo, poderá ficar”, o Prefeito não compareceu, nem respondeu ao convite. Ao contrário, funcionários da Prefeitura permanecem assediando os moradores, espalhando boatos de que ninguém permanecerá na comunidade.

Diante disso, moradores deram início a uma campanha nas redes sociais, em que cada pessoa grava um vídeo questionando o Prefeito sobre quando ele começará a urbanizar a comunidade e desafia outras três a fazer o mesmo, utilizando sempre a hashtag #UrbanizaJá. Além do vereador Renato Cinco, outros parlamentares, como os deputados estaduais Marcelo Freixo, Flávio Serafini e Eliomar Coelho; o Comitê Popular da Copa e Olimpíadas do Rio de Janeiro; e personalidades como Camila Pitanga, Gregório Duvivier e Zélia Duncan já aderiram. Veja o que já rolou buscando por #urbanizajá no Facebook e acompanhe a agenda de atividades pela página da Vila Autódromo.

No próximo sábado (05), às 14h30, acontecerá o lançamento do livro de Raquel Rolnik, “Guerra dos Lugares: a colonização da terra e da moradia na era das finanças”, na Vila Autódromo.