Danos ambientais e mudanças climáticas na cidade olímpica

Depois de alguns anos de espera e muita publicidade, os Jogos Olímpicos estão chegando. Durante a formulação dos projetos de reorganização da cidade e dos equipamentos esportivos, muito foi prometido à população carioca. Um dos legados seria uma melhoria nos aspectos ambientais: reestruturação do sistema de transportes, que poderia contribuir com a redução da poluição, e despoluição da Baía de Guanabara e da Lagoa Rodrigo de Freitas são alguns dos exemplos mais propagandeados.

A mudança nos transportes, apesar de ter sido implementada, não resolveu nem as questões ambientais, nem as de locomoção. Já a despoluição, mesmo com investimentos direcionados para tais projetos, não teve avanços.

Nosso mandato tem se dedicado nos últimos anos a debater os diversos aspectos que envolvem os mega eventos promovidos na cidade do Rio. Em discurso no plenário da Câmara Municipal, o vereador Renato Cinco abordou a questão ambiental, destacando as limitações do nosso planeta para o desenvolvimento da sociedade industrial. Cinco citou os equívocos deste modelo, adotado inclusive por nações pós-capitalistas. Veja o vídeo:

Na sexta-feira (10), em referência ao “Dia Mundial do Meio Ambiente” – comemorado no dia 5/6 -, nosso mandato promoverá o debate “Danos ambientais e mudanças climáticas na Cidade Olímpica”. A mesa será composta apenas por mulheres: Sônia Peixoto (Bióloga, Mestre em Ecologia Social), Fátima Maria Massou (Movimento SOS Mata Belisário), Débora Danowski (Professora de Filosofia da PUC Rio e criadora da linha de pesquisa “Filosofia e a Questão Ambiental”), Mariana Bruce (Articulação Plano Popular – Vargens), Sandra Quintela (PACS e Campanha Pare TKCSA) e Moema Miranda (IBASE/Fórum de Mudanças Climáticas e Justiça Social RJ). A atividade será realizada no plenário da Câmara, às 9h.

Evento no facebook