A resposta do Governo Cabral às ruas tem sido mais brutalidade policial e criminalização dos movimentos sociais

Na última quarta (04), cinco jovens (3 adultos e 2 adolescentes) ligados à página “Black Block RJ” no facebook foram acordados em suas casas com policiais buscando seus computadores e telefones. Levados à Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), os 3 adultos, pelo menos um deles com 18 anos recém completados, foram indiciados e presos pelos crimes de “incitação à violência”, pelas publicações na internet, e “formação de quadrilha armada” por conta de um canivete encontrado na casa de um deles e um artefato que poderia ser utilizado para furar pneus achado na residência de outro.

O malabarismo legal para enquadrá-los em um crime inafiançável revela a verdadeira intenção do acuado Governo Cabral e sua cúpula de segurança: intimidar e criminalizar os protestos populares.

Enquanto isso, na ALERJ, um absurdo projeto de lei proposto por dois deputados da base do governo, Domingos Brazão e Paulo Melo (PMDB), tenta proibir o uso de máscaras em manifestações públicas. Se os nobres parlamentares prestassem atenção ao que acontece nas ruas, talvez veriam que os primeiros mascarados são os próprios policias militares, que não raro cometem abusos e brutalidades sem identificação.

Ante o crescente Estado Policial que se instala no Rio de Janeiro não podemos permanecer calados. Os problemas da nossa sociedade e as questões levantadas pelas ruas não se resolvem com mais repressão, e sim com mais democracia. Nesse momento, somos todos Black Blocs, Amarildos, ocupantes, professores grevistas, indignados na Maré e em todo Rio de Janeiro.

FORA CABRAL! Pela Desmilitarização das polícias, da política, das ruas e das favelas.