Ni Una Menos

33Vestidas de preto, em sinal de luto, milhares de mulheres compareceram ao ato “Ni Una Menos”, em solidariedade às manifestações feministas que estão ocorrendo na Argentina, Chile, México, Bolívia e Peru.

O encontro aconteceu no fim da tarde da última terça-feira (25), em frente à Assembleia Legislativa do Rio, e caminhou em direção à Cinelândia.

Dados da Organização das Nações Unidas revelam que catorze (14) dos vinte e cinco (25) países com maior taxa de feminicídio do mundo estão na América Latina. A cada 36 horas, uma mulher é vítima de feminicídio na Argentina. A cada duas horas, uma mulher é vítima de feminicídio no Brasil.

Feminicídio, palavra latino-americana, foi o que levou a vida de Lucía Pérez, de apenas 16 anos, em Mar del Plata. Dois homens a drogaram. Dois homens a estupraram, dois homens a empalaram. Dois homens a assassinaram brutalmente.

A dor de Lucía é a dor da mulher argentina; é a dor da mulher latino-americana; é a dor de todas as mulheres do mundo.