Milhares de pessoas ocupam as ruas contra a reforma da previdência

Na última quarta-feira (15), milhares de pessoas ocuparam as ruas em todo o país em protesto contra a reforma da previdência. Com o avanço na tramitação desta proposta na Câmara dos Deputados, fica cada vez mais claro que os trabalhadores vão contribuir por mais anos e receber uma aposentadoria proporcionalmente menor.

No Rio de Janeiro, houveram paralisações dos agentes penitenciários, nas redes municipal e estadual de ensino e em cerca de 60 escolas particulares. Os bancários também cruzaram os braços contra a reforma da previdência. De acordo com o sindicato da categoria, pelo menos 60 agências do Centro não funcionaram.

No final da tarde, a Av. Presidente Vargas foi ocupada por uma imensa passeata, que caminhou até a Central do Brasil. Além do coro de “Fora Temer”, o governador Pezão, que promove um covarde corte de salário dos servidores, também foi alvo de vaias e críticas dos manifestantes.

No plenário da Câmara Municipal, o vereador Renato Cinco comentou sobre algumas maldades da reforma da previdência que ainda foram pouco debatidas, como os prejuízos gerados para o trabalhador rural e os profissionais de educação.

“Além de todas as injustiças que estão sendo produzidas, a gente ainda pode ver uma situação desse nível: o trabalhador rural e os professores perderem o direito à aposentadoria especial, e os magistrados e promotores não,” declarou Cinco.

Veja a íntegra do discurso: