Greve geral para barrar as reformas trabalhista e previdenciária!

O governo de Michel Temer (PMDB), que assumiu a presidência do país depois de um golpe parlamentar, atua como verdadeiro inimigo dos trabalhadores. São de sua autoria a reforma trabalhista – que flexibiliza a CLT – e a reforma da previdência – que dificulta ainda mais a aposentadoria.

A última pesquisa de avaliação divulgada, realizada pela consultoria Ipsos, revelou que Temer tem apenas 4% de aprovação popular.

Diante de um governo ilegítimo, impopular e covarde, é preciso organizar a resistência popular. Nesse sentido, várias centrais sindicais e movimentos sociais estão convocando uma greve geral para sexta-feira, dia 28 de abril.

Da tribuna da Câmara, o vereador Renato Cinco (PSOL) criticou o governo federal, que conta com o apoio da mídia grande, e convocou a população a participar do protesto.

No dia da greve, acontecerá uma grande marcha, que terá concentração em frente à ALERJ, a partir das 14h. A passeata seguirá em direção à Avenida Presidente Vargas e retornará pela Rua Rio Branco até a Cinelândia.

Evento no facebook

Diversas categorias já declararam adesão à paralisação. Veja a lista completa abaixo:

Rodoviários; Trabalhadores da Saúde; Trabalho e Previdência Social do Estado do Rio de Janeiro (Sindsprev-RJ); Bancários do Rio, Teresópolis, Baixada, Macaé e Campos; Profissionais de educação do Rio e de vários municípios da Baixada Fluminense (Educadores Municipais e Estaduais (Sepe-RJ)); docentes da UFRRJ (Adur –RJ); Professores da UFRJ (Adufrj); Docentes e servidores da UFF (Aduff e Sintuff); Docentes da Uerj (ASduerj); Professores municipais e estaduais – Servidores públicos federais e do judiciário; Correios; Enfermeiros; Metalúrgicos; Trabalhadores da construção civil.