Resposta à matéria do jornal “O Globo”

A matéria do Jornal O Globo criticando a Câmara Municipal e os vereadores do Rio segue a linha das empresas da família Marinho de criminalização da política e do que é público. É uma linha editorial que desmerece a democracia, como se vê também na cobertura que tais empresas fazem sobre as manifestações de rua ou na defesa permanente das privatizações. Incluir parlamentares do PSOL nessas listas de políticos sem compromisso torna-se então uma forma de reafirmar que na política são todos iguais. Mas eles sabem que isso não é verdade. A citada matéria é exemplar. Respondemos ao Jornal O Globo sobre as tais “faltas” do vereador Renato Cinco. E, apesar do nosso prévio esclarecimento, eles preferiram manter sua linha editorial, mesmo que cometendo injustiças, e não publicaram uma linha de nossas explicações na matéria divulgada no impresso.

Veja abaixo a resposta que enviamos cinco dias antes da matéria ser publicada:

O vereador Renato Cinco faltou a uma única sessão ordinária por motivo de saúde. As demais faltas ocorreram em sessões extraordinárias, que em 100% dos casos são combinadas exclusivamente com a base do governo e a oposição não tem qualquer participação na elaboração da pauta. Os projetos propostos costumam ser irrelevantes e ou não polêmicos. As sessões são quase sempre anunciadas com minutos de antecedência e acontecem no mesmo horário que outras agendas prévias do vereador.

O mandato é crítico a essa grande quantidade de sessões extraordinárias, que impossibilitam a devida apreciação da pauta e impedem a população de acompanhar o processo legislativo.

Por todos os motivos expostos acima, entendemos que a metodologia de somar sessões extraordinárias com as ordinárias é equivocada e pode levar a injustiças.

Sobre a relevância do mandato nesses 100 dias, é importante destacar que: foram apresentados dois pedidos de CPIs, um para investigar o pagamento de propina nas obras das Olimpíadas e outro para investigar a alienação de terrenos da prefeitura. Apresentamos ainda onze projetos de lei neste ano. Aprovamos também dois projetos de lei e outros dois ainda dependem de uma segunda votação. Sobre os projetos aprovados, o primeiro obriga a prefeitura a publicizar previamente as alterações nas linhas de ônibus e o outro torna a Feira Agroecológica de Campo Grande como de Interesse Cultural e Social. Em primeira votação aprovamos o projeto que amplia a licença paternidade e outro que cria o dia da comunicação popular. Foram ainda enviados mais de dez Requerimentos de Informações à prefeitura como o que questiona a qualidade das merendas nas escolas. Importante destacar ainda a criação de duas Comissões Especiais, uma sobre o Colapso Hídrico e Direito à Água, pela qual lançamos o livro “Crise Hídrica em Debate” (www.colapsohidrico.eco.br) e outra: sobre Assistência às Vítimas da Guerra às Drogas ambas presididas pelo vereador Renato Cinco.

Sobre a atuação no plenário, é notório que Renato Cinco é um dos mais participativos tendo realizado 26 discursos em 21 sessões.

Detalhes das sessões extraordinárias:

No dia 21/02 aconteceram duas sessões extraordinárias para a autorização da viagem do prefeito Marcelo Crivella e outros projetos não “polêmicos”, como os de derrubada de vetos. No mesmo horário o vereador já tinha agendada entrevista na TV Menorah (judaica).

No dia 07/03 estava programada a votação do Clube América e a estratégia do vereador era exatamente esvaziar a sessão para adiar a votação e forçar um debate mais amplo sobre o tema. A estratégia deu certo e a votação somente aconteceu no dia 23/04.

No dia 08/03 estava agendada a sabatina com o indicado ao Tribunal de Contas do Município, o nome não tinha polêmica e, além disso, o horário batia com a reunião de gabinete que organizou a participação do mandato nas manifestações pelo Dia da Mulher e divulgação da nossa lei 5858, que Institui a Campanha Permanente de Combate ao Machismo nas Escolas.

No dia 16/03 a pauta tinha apenas dois projetos não polêmicos e no mesmo horário o vereador tinha reunião para a construção da Assembleia Popular da Água e atividade com o Centro do Teatro do Oprimido.

No dia 04/04 a pauta continha um único projeto de concessão de título de cidadão honorário.

Seguem links (Câmara e nosso site) para que O Globo tenha a oportunidade de conhecer as nossas ações parlamentares e quem sabe não podemos fazer outras pautas juntos .

www.camara.rj.gov.br

www.renatocinco.com

Já a versão online foi reeditada ao longo do dia e publicou nossa resposta na íntegra. Leia a matéria:

https://oglobo.globo.com/rio/mais-de-um-terco-das-propostas-apresentadas-por-vereadores-nao-tem-relevancia-para-cidade-21318028