Luta em defesa do passe livre ganha as ruas do Rio

Sob o argumento de crise financeira, o governo Pezão ordenou a suspensão, sem aviso prévio, do passe livre de estudantes das redes municipais e federal em ônibus intermunicipais, barca, trem e metrô. O corte do benefício afetaria 27 mil estudantes. A medida do governo gerou revolta e mobilização.

A Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro entrou com ação na Justiça e a suspensão do passe livre foi cancelada. Entretanto, mesmo com a publicação da liminar, o movimento estudantil decidiu fazer pressão nas ruas para garantir o recuo do governo Pezão.

Organizado pela Associação dos Estudantes do Rio de Janeiro (AERJ) e pela Federação Nacional dos Estudantes em Ensino Técnico (FENET), o “Ato Contra O Fim Do Riocard No RJ”, que ocorreu na última segunda-feira (08), contou com a presença de mil estudantes secundaristas de todo o estado do Rio de Janeiro.

O movimento estudantil secundarista mostrou que continua vivo. “Poucas vezes acreditei como hoje que é possível mudar, mas cada um e cada uma aqui presente é parte da mudança que queremos”, destacou Nathan Paes, presidente do grêmio do Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ), campus Maracanã.

O Mandato Ecossocialista e Libertário Renato Cinco (PSOL) se somou ao ato, em solidariedade à luta estudantil. “Eu vou à luta com essa juventude, que não corre da raia a troco de nada”, diz um dos versos da música de Gonzaguinha, que o vereador Renato Cinco dedicou em suas redes sociais às e aos secundaristas.

A luta em defesa do passe livre deu um importante recado: resistir é necessário. Estudantes da rede municipal e federal de ensino no Rio de Janeiro continuarão contando com a gratuidade no transporte.

#TiraaMãodoMeuCartão #PasseLivreFica