Valorização dos profissionais da educação em pauta

As discussões sobre o Plano Municipal de Educação (PME) seguem a pleno vapor na Câmara Municipal. Na última sexta-feira (12), uma Audiência Pública pautou a valorização dos profissionais da educação.

Infelizmente, a categoria dos profissionais da educação não conseguiu participar de forma efetiva, pois a Secretaria de Educação, além de liberar apenas cinco pessoas por Coordenadoria Regional de Educação (CRE), apenas os avisou na sexta-feira – dia da Audiência – pela manhã. Mais uma vez, a Secretaria não garantiu tempo hábil e condições para a participação dos trabalhadores da educação.

Apesar de muitas das falas demonstrarem surpresa com o pedido de Regime de Urgência feito pelo Poder Executivo e reivindicarem o retorno das discussões às escolas e mais democratização do processo, a Secretaria insistiu que os debates foram garantidos.

A falta de sensibilidade em dialogar com as questões apresentadas também norteou a postura da Secretaria. E, na tentativa de deslegitimar as posições do Sindicato, o Secretário César Benjamin chegou a afirmar que os professores gostam de se “vitimizar”, numa postura que “beira o fascismo”, por denunciarem os problemas e precariedades da rede municipal de ensino.

Os profissionais da educação denunciaram também a ausência da garantia do 1/3 para o planejamento, que deveria ter sido implementado em toda a rede entre 2011 e 2016, mas até agora isso ainda não se efetivou.

Renato Cinco participou da Audiência e, além de uma breve análise sobre o texto do PME, apresentou algumas das demandas enumeradas nos encontros “o PME que querermos”, realizados pelo nosso mandato no ano passado. A valorização real só se dará no momento em que houver um Plano de Carreira unificado para todos os profissionais da rede, considerando o tempo de serviço e formação.

Veja aqui a íntegra do discurso:

Assista aqui a Audiência Pública: