Um Estado genocida

A publicação recente do “Atlas da Violência no Brasil”, que analisa os números de homicídios no país entre 2005 e 2015, revela um verdadeiro genocídio da população jovem e negra.

Nestes dez anos, aconteceram 588.579 homicídios. Deste total, 417.891 eram negros, o que equivale a 71% do total. A população negra possui 23,5% mais chances de ser assassinada no Brasil.

Em discurso no plenário, o vereador Renato Cinco destacou que as estatísticas deixam claro o caráter genocida do Estado Brasileiro e cobrou a condenação de governantes atuais e anteriores. “Como que o Brasil ainda não foi considerado um Estado Pária pela comunidade Internacional?”, questionou.

Veja a íntegra do discurso:

Enquanto a taxa de homicídios dos não negros caiu 12,2% entre 2005 e 2015, a dos pretos e pardos subiu 18,2%.

Levando em consideração apenas os homicídios de mulheres negras, esses índices são ainda mais cruéis. Enquanto a mortalidade de mulheres não negras teve uma redução de 7,4% entre 2005 e 2015, o número de assassinatos de mulheres negras subiu 22% no mesmo período.

Segundo dados do IBGE, a população negra corresponde a 54% dos brasileiros.