Bancada da Bala tenta armar a Guarda Municipal

A utilização de armas pela Guarda Municipal voltou a ser debatida na Câmara Municipal. O vereador Jones Moura (PSD), que é da Guarda, articulou a votação de uma Emenda à Lei Orgânica do Município para permitir a utilização de armas de fogo pelos agentes da tropa.

Felizmente, a proposta foi rejeitada pelos parlamentares, com 26 votos contra e 7 favoráveis. Moura também apresentou outra emenda, possibilitando o uso de armas menos letais, que ainda não foi votada.

Recusamos a expressão “armas não letais” porque não são raros os casos de pessoas gravemente feridas por armamentos desse tipo. É preciso a mobilização da sociedade para derrubar essa proposta e impedir que ocorra ainda mais repressão contra o comércio ambulante e a população em situação de rua.

Em discurso, o vereador Renato Cinco declarou voto contrário ao projeto e apresentou dados sobre modelos de segurança opressores adotados em diversos países e implementados no Brasil desde o período colonial.

“O caminho para fazer a violência ceder não é o caminho do armamento, não é o caminho da transformação cada vez mais radical das nossas polícias e coisas parecidas com tropas de ocupação e com forças armadas. A violência no Brasil vai ceder da mesma maneira que ela cedeu na Europa Ocidental e em outros lugares do mundo, quando a população deixou de ser tratada como escravo, quando a população deixa de ser tratada como massa a ser explorada”, declarou Cinco.

Veja a íntegra do discurso: