Bancada do PSOL pede CPI dos ônibus

A bancada do PSOL na Câmara Municipal se reuniu na manhã de terça-feira (04) para traçar a melhor estratégia para enfrentar o histórico poderio da máfia dos transportes no Rio, a partir das denúncias contra os empresários do setor investigadas pela operação Lava-Jato.

Os vereadores do partido decidiram protocolar um novo pedido de CPI, para investigar as relações dos empresários de ônibus com o Executivo Municipal. A bancada também decidiu colocar peso em dois projetos já apresentados: o PL 101/2017, que questiona a redução de ISS às empresas de ônibus, e o Projeto de Lei (ainda sem número) que garante o passe livre a todos os cidadãos no dia da eleição.

Em discurso no plenário, o vereador Renato Cinco defendeu a instalação da CPI:

“São os mesmos empresários e o partido político que governou essa cidade nos últimos oito anos. É o mesmo que está envolvido com a corrupção, com os empresários de ônibus, no âmbito estadual. O povo do Rio de Janeiro quer saber se o PMDB do Estado teve um comportamento e o PMDB do Município do Rio de Janeiro teve outro comportamento. Se Eduardo Paes agiu diferente de Sérgio Cabral. Isso precisa ser investigado. A população do Rio de Janeiro quer saber como se dá a relação dos empresários de ônibus com o Poder Municipal”, declarou.

Veja a íntegra do discurso:

O valor da passagem de ônibus em 1994 era de R$ 0,35. A inflação acumulada desde então foi de 407%. Se usado esse índice, a passagem de ônibus deveria custar hoje R$ 1,88: muito distante dos R$ 3,80 cobrados pelas empresas do Rio.