Parem de matar nossas crianças!

No dia 30 de março, morreu Maria Eduarda após ser atingida por tiros no pátio da Escola Municipal Daniel Piza, em Acari,enquanto participava da aula de Educação Física.

Na última terça-feira (04), Vanessa Vitória dos Santos, de 10 anos, foi morta dentro de casa durante um confronto, na comunidade Camarista Méier, no Complexo do Lins. Vanessa era aluna da Escola Macedo Soares, no Lins, de onde havia acabado de voltar.

A morte das duas garotas na Zona Norte do Rio é efeito colateral da política de segurança falida do governador Pezão, que vitima cotidianamente crianças e adolescentes pobres e negros, estudantes das redes públicas de ensino. Para nós, todas as vidas importam e nenhuma delas pode ser perdida em nome do ineficaz combate ao varejo de drogas.

As ditas “áreas conflagradas” sofrem com o cancelamento de dias letivos, o que fragmenta o ano escolar em diversas unidades. Um lado perverso dessa história, que não podemos esquecer: a suposta guerra às drogas viola direitos e põe em risco a vida de milhares de crianças e adolescentes.

Para enfrentar essa realidade, é necessário um suporte multidisciplinar para estudantes e professores da rede municipal de ensino que sofrem com a guerra aos pobres travestida de guerra às drogas.

#JuventudeNegraQuerViver #VidasNegrasImportam #BastaDeGuerraAosPobres