O exército não vai levar a paz para o Rio de Janeiro

Após um desnecessário recesso parlamentar, a Câmara Municipal do Rio de Janeiro reiniciou os trabalhos no primeiro dia de agosto. Em discurso, o vereador Renato Cinco comentou sobre os fatos recentes da política nacional. Infelizmente, o presidente Michel Temer continua no governo e o Rio de Janeiro foi ocupado por milhares de soldados das forças armadas.

Sobre a utilização das forças armadas em ações de segurança pública, Renato Cinco lembrou que esta opção já foi utilizada no passado e que não resultou em melhora nos indicadores de violência. Cinco apresentou estatísticas de criminalidade durante os Jogos Olímpicos de 2016, quando a cidade também foi patrulhada por militares do exército.

“Não houve queda do índice de violência durante a ocupação militar nas Olimpíadas e não haverá queda a partir da ocupação do Rio de Janeiro pelas Forças Armadas nesse período enorme – uma previsão de ocupação de mais de um ano e meio”, declarou.

Cinco também condenou a aposta em soluções emergenciais para melhorar a segurança pública e defendeu a regulamentação do mercado de drogas como verdadeira medida eficaz de combate às organizações criminosas. “É preciso parar com hipocrisia. Quem subir a essa Tribuna para dizer que não tem que legalizar as drogas estará fazendo o serviço do tráfico de drogas. Quem defende a manutenção dessa proibição, ou é muito burro ou é muito canalha e quer que a guerra continue”, defendeu.

Veja a íntegra do discurso:

No mesmo discurso, Cinco também defendeu a libertação imediata de Rafael Braga Vieira, preso injustamente por portar um desinfetante, que foi transformado pela polícia em material explosivo.

“A Justiça no Brasil é mesmo só para os pobres, negros, moradores de rua como o Rafael Braga. Não é para o filho da desembargadora, não é para o deputado federal ou para o senador, donos do helicóptero com uma tonelada de cocaína. É só para os pobres”, lamentou Cinco.