Só a rua expulsa Michel Temer da vida das pessoas!

Em sessão que durou mais de 12 horas, o acordão para suspender a investigação do presidente ilegítimo Michel Temer saiu vitorioso, com apoio de 263 deputados que disseram sim ao relatório da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), do deputado Paulo Abi-Acke (PSDB-MG). Antes do resultado da votação, o vereador Renato Cinco (PSOL) discursou na Tribuna da Câmara, lamentando a apatia social que atravessa o país e defendendo a auto-organização da classe trabalhadora.

“Eu estou bastante intrigado. Hoje, em tese, é um dia histórico. O Congresso Nacional vai votar o afastamento, ou não, do Presidente da República, para responder a processo no Supremo Tribunal Federal. E eu estou sentindo falta do ator mais importante do País, que é o povo. Há um silêncio ensurdecedor vindo do povo brasileiro”, lamentou o vereador.

Veja a íntegra do discurso:

Renato Cinco acredita que, para o povo, a saída não está simplesmente no impeachment de Michel Temer (PMDB), até porque quem assumiria seria o presidente da Câmara, o deputado federal Rodrigo Maia (DEM), que já anunciou que daria continuidade às reformas previdenciária e trabalhista. Um presidente rejeitado por 94% da população e um Congresso de corruptos não podem seguir aniquilando direitos da classe trabalhadora. Por isso, é necessário lutar por novas eleições gerais e diretas já!

Com a vergonhosa decisão da Câmara, o processo contra Temer por corrupção passiva só pode ser retomado após o fim do mandato, mesmo sendo este o primeiro presidente a ser denunciado em pleno exercício e com recorde de rejeição entre a população. O PSOL cumpriu seu papel. Em diversos momentos, denunciou as manobras e a blindagem que vinham sendo feitas ao longo dos últimos meses para salvar o presidente ilegítimo.

O resultado da votação significará o fim das investigações da operação Lava Jato em torno de Temer e seus aliados, a continuidade da aprovação das reformas que atacam direitos sociais e trabalhistas da população brasileira e o escancaramento da política do toma-lá-dá-cá, com direto a compra de votos, troca-troca de cargos e liberação de emendas danosas para garantir o apoio de parlamentares igualmente oportunistas.

Não é fácil transformar a realidade brasileira. “Ou avançamos para romper com o sistema capitalista internacional e criarmos uma economia socialista no Brasil, ou nós vamos regredir em todos os direitos democráticos conquistados nesse país”, destacou Cinco. A saída somente será possível quando o povo brasileiro voltar à cena. Urge apostar em iniciativas de resistência popular socialistas e de esquerda, que não se dobrem aos donos do poder.

Veja a íntegra do discurso: