O Complexo do Maracanã um ano após as Olimpíadas

O mandato do vereador Renato Cinco promoverá, na próxima terça-feira (22), às 18h30, o debate “O Complexo do Maracanã um ano após as Olimpíadas: entre o abandono e o retorno do uso popular”.

O Complexo do Maracanã foi uma das maiores vítimas do processo de assalto aos bens e aos cofres públicos promovido por governantes e empresários na preparação do Rio de Janeiro para Copa do Mundo e Olimpíada. Parte do equipamento público, que contava com espaços de esporte, saúde, educação e lazer servindo à população, seria transformado em um shopping.

A mobilização popular impediu a destruição completa do Complexo através da campanha “O Maraca é Nosso” em 2011 e 2012 e das Jornadas de Junho de 2013. No entanto, o Maracanã nunca voltou a ser o mesmo. A pista do Estádio de Atletismo Célio de Barros foi asfaltada, o Parque Aquático Júlio Delamare foi fechado e a Aldeia Maracanã cercada por militares. O estádio do Maracanã, privatizado, agora pouco serve aos times cariocas e seus torcedores.

Apesar deste quadro, as iniciativas de resistência se mantém. O povo indígena iniciou o processo de retomada da Aldeia Maracanã ao seu território de direito; atletas e torcedores estão mobilizados para a revitalização do Complexo. E os responsáveis pelo desmonte do Maracanã estão atrás das grades e/ou respondendo criminalmente pelos seus atos, como é o caso do ex-governador do Rio Sérgio Cabral e empresários do consórcio que ganhou a licitação para a “reforma” do estádio.

O debate acontecerá no Plenário da Câmara Municipal e terá as presenças de Edneida Freire – Treinadora do Estádio de Atletismo Célio de Barros; Rosângela Lopes – Usuária do Parque Aquático Júlio Delamare; Lucas Pedretti – Torcedor e usuário do Estádio do Maracanã; José Guajajara – Aldeia Maracanã; Demian Castro – Integrante da Campanha “O Maraca é Nosso!”; Patricia Amorim – subsecretária de Esportes e Lazer (ainda não confirmou presença).

Evento no facebook