Militarização não é solução!

Reformas da previdência, dos direitos trabalhistas e flexibilização da legislação ambiental têm sido apresentadas como as saídas para a atual crise. A crescente militarização do cotidiano também aparece nesse conjunto de respostas rápidas para a violência urbana – e, consequentemente, para a crise -, com o fortalecimento das instituições policiais tradicionais e também com as diversas movimentações no sentido de incluir as Guardas Municipais no espectro de uma suposta segurança pública.

Essas soluções “instantâneas” são formuladas pelas classes dominantes para tentar resolver, na verdade, os seus problemas, e não servem aos trabalhadores do nosso país. Apostam em leis mais duras, intervenção militar e até na eleição de “mitos” para comandar o país.

Em discurso no plenário da Câmara Municipal, o vereador Renato Cinco criticou as saídas autoritárias e destacou a necessidade do Brasil superar sua condição de país periférico dentro do sistema capitalista.

“Somente a mobilização popular, profunda e radical, pode fazer com que o país deixe esta crise sem se tornar uma ditadura aberta ou disfarçada”, declarou Cinco.

Veja a íntegra do discurso: