Inaceitável!

Nos últimos dias, milhares de pessoas foram às ruas protestar contra a permanência de Michel Temer (PMDB) na presidência e a retirada de direitos da população.

Na terça-feira (24), o ato “Inaceitável!”, convocado por artistas indignados com a situação do país, marchou da Candelária até a Cinelândia. Ao final do protesto, a PM agiu mais uma vez de forma truculenta e dispersou os manifestantes com bombas e gás de pimenta.

Em discurso no plenário, o vereador Renato Cinco – que participou da passeata – listou algumas das situações inaceitáveis enfrentadas no país hoje.

“Em primeiro lugar, é inaceitável que o bandido Michel Temer continue na Presidência da República. É inaceitável que o Congresso Nacional se comporte como uma quadrilha de cúmplices, mantendo o Presidente corrupto na Presidência da República. É inaceitável que esse mesmo Congresso Nacional queira produzir o maior ataque aos direitos dos trabalhadores e das trabalhadoras, o que jamais ocorreu na história do Brasil. Já aprovaram a reforma trabalhista. É inaceitável que a reforma trabalhista entre em vigor no próximo dia 11. É inaceitável a reforma da Previdência. É inaceitável que se minta ao povo dizendo que a Previdência é deficitária, quando vários estudos, inclusive a CPI da Previdência, acabaram de publicar relatório dizendo que a Previdência não é deficitária. É absolutamente inaceitável o retorno do trabalho escravo no Brasil. O retorno não, porque o trabalho escravo nunca acabou no Brasil. É inaceitável que o governo Michel Temer, para conseguir votos para continuar a ser Presidente da República, crie dificuldades ainda maiores para a erradicação do trabalho escravo no nosso País. É inaceitável a Medida Provisória nº 759, que altera a regularização fundiária, favorecendo a grilagem de terras no campo e a especulação imobiliária nas cidades. É inaceitável o novo Código Florestal, que facilita a destruição do meio ambiente. É inaceitável o Exército nas favelas, as Forças Armadas cumprindo um papel totalmente inconstitucional, levando mais violência e sem nenhum resultado na diminuição da violência urbana das nossas cidades. É inaceitável, senhores vereadores, senhoras vereadoras, que o Congresso Nacional continue calando a boca de todos os pais e todas as mães que querem ensinar para seus filhos que no Brasil o crime não compensa. O Congresso Nacional não pode manter um grande criminoso como Michel Temer à frente da Presidência da República. Essa é a desmoralização total do nosso País”, declarou.

Veja a íntegra do discurso:

Está marcado para 10 de novembro o “Dia Nacional de Mobilização e Paralisação” contra o governo e as reformas.

Em outro discurso, Renato Cinco denunciou a repressão da PM aos manifestantes. Veja a íntegra do discurso:

Cinco também comentou, em pronunciamento, o mal estar súbito de Michel Temer. “Deus: não deixe Michel Temer sair do hospital e voltar para a Presidência da República”, afirmou.

Veja a íntegra do discurso: