O caos da saúde é inaceitável

Na manhã desta quinta-feira (26), aconteceu, na Câmara Municipal, a Audiência Pública “Orçamento da Saúde para 2018”. Apesar de ainda haver cadeiras vazias nas galerias, os seguranças da casa impediram o acesso da população. A polícia disparou jatos de água na manifestação, mas a categoria seguiu com o protesto. Após o tumulto, a entrada foi liberada e o plenário ficou lotado.

Em discurso, Cinco destacou o desmantelo da saúde pública do Rio. “Eu não vou entrar no jogo se a culpa é do Crivella ou do Paes, porque quando um acusa o outro, os dois estão falando a verdade. Em cinco anos de mandato, eu recebi dezenas de denúncias de ameaças de demissão, que aconteciam sempre que trabalhadoras e trabalhadores questionavam a precarização do trabalho. As terceirizações também servem para livrar bilhões de orçamento do controle público. O prefeito precisa receber os trabalhadores da saúde para negociar”, declarou.

Veja a íntegra do discurso: