Viva a luta das mulheres!

O Dia Internacional da Mulher tem origem na luta de trabalhadoras pela transformação da sociedade. O 8 de março não é uma data comercial, é um dia que marca a resistência de diversas mulheres contra a opressão machista. Em discurso no plenário da Câmara Municipal, o vereador Renato Cinco explicou a história desta data, que teve início na organização de mulheres que antecedeu a Revolução Russa em 1917.

Cinco também fez a leitura de um texto da feminista soviética Aleksandra Kollontai sobre a importância do 8 de março. Saiba mais!

Medalha Chiquinha Gonzaga

Para nós também é importante dar o devido reconhecimento àquelas que protagonizam lutas e são linha de frente da resistência popular. Por isso, apresentamos um requerimento para entregar a Medalha Chiquinha Gonzaga à Maria de Lourdes Lopes Fonseca, Lurdinha, importante liderança do Movimento Nacional de Luta pela Moradia (MNLM).

Lurdinha nasceu em 21 de abril de 1960, tem dois filhos e seis netos. Sua história é a de muitas mulheres brasileiras. Filha de lavradores pobres, foi expulsa da terra com sua família nos anos 1970, quando se mudou para a cidade de Volta Redonda, no sul Fluminense. Na década seguinte, Lurdinha se envolveu nas lutas por moradia na região e entrou de vez nas mobilizações pela regularização fundiária e urbanização de favelas. Católica, vinculou-se ao trabalho social da Igreja e à Teologia da Libertação, organizando famílias que como a sua buscavam um teto.

Com muita luta, ergueu-se a Ocupação Manoel Congo e Lurdinha e sua família conseguiram enfim conquistar seu direito à moradia no Centro da cidade. Lurdinha é uma das principais vozes dos movimentos urbanos que lutam por moradia no Brasil, marcados pelo protagonismo feminino.

Esperamos ter a alegria de entregar a Medalha Chiquinha Gonzaga da Câmara Municipal do Rio de Janeiro a esta mulher, que é exemplo de luta e resistência.