Por Marielle e Edson Luís! Contra a Intervenção, Pela Educação!

Na próxima quarta-feira (28), um ato unificado organizado por coletivos do movimento estudantil, movimentos de favela e movimento pela memória, verdade e justiça ganhará as ruas para lembrar os 50 anos do assassinato de Edson Luís e a morte de Marielle Franco, vereadora pelo PSOL Carioca barbaramente executada na noite de 14 de março de 2018 juntamente com o trabalhador Anderson Gomes.

O secundarista Edson Luís de Lima Souto, 17 anos, era um dos 300 estudantes que jantavam no restaurante estudantil do Calabouço no fim de tarde de 28 de março de 1968 quando o local foi invadido por policiais militares. Seu assassinato marcou o início de um ano de intensas mobilizações contra o regime militar no Brasil. Edson Luís virou símbolo de luta e a sua morte foi o estopim para uma grande manifestação pública que culminou, meses depois, na Marcha dos 100 mil, um dos principais protestos contra a Ditadura. Edson Luís, estudante pobre, vindo do Pará, foi morto covardemente pela PM por lutar por melhorias no Calabouço.

Cinquenta anos depois, outra tragédia levou às ruas cem mil pessoas somente no Rio. No dia 15 de março, a cidade chorou pela morte de Marielle Franco e Anderson Gomes. A revolta pela execução de uma das poucas mulheres negras que conseguiu ocupar lugar na política brasileira reuniu milhares para dizer não, à intervenção federal no Rio e ao genocídio do povo negro.

Contra as desigualdades e a política repressora de segurança pública, as ruas serão mais uma vez ocupadas na quarta (28). A concentração do ato será realizada, às 15 horas, na Candelária. Participe!

Evento no facebook