Marcha da Maconha do Rio mobiliza 15 mil pessoas

Seguindo a tradição de luta do movimento antiproibicionista, no primeiro sábado de maio foi realizada a Marcha da Maconha do Rio de Janeiro. A manifestação, que aconteceu na orla de Ipanema, reuniu cerca de 15 mil pessoas, levantando as bandeiras da legalização e da urgente superação da guerra às drogas.

Este ano a Marcha marcou posição contra a intervenção federal na segurança pública. Infelizmente, a mudança no comando da polícia não alterou a lógica insana de confronto nas regiões mais pobres do Rio.

Sem a regulamentação do mercado de drogas, o desejo de todos por dias mais tranquilos torna-se algo impossível de ser alcançado. A guerra às drogas é a maior responsável pela morte de policiais, traficantes e inocentes. São vidas que se perdem sem provocar abalo significativo na estrutura do narcotráfico. Manter este confronto é uma decisão, no mínimo, perversa.

Nosso mandato esteve presente na Marcha e realizou a distribuição da Cartilha Antiproibicionista dos Direitos do Usuário e de outros materiais informativos.

Em discurso, o vereador Renato Cinco lembrou que a criminalização da maconha é usada, desde o século 19, como pretexto para prender a população preta e pobre. “Não aceitamos mais essa guerra aos pobres. Sabemos que eles não estão preocupados em controlar as drogas. O objetivo principal desta polícia é manter a periferia sob terror constante”, declarou.

Veja no vídeo como foi a Marcha da Maconha do Rio de Janeiro: