“Um conserto banal”

O engenheiro mecânico da Cedae, Celso Carioni, afirmou que a solução para que a ciclovia Tim Maia volte a operar “é banal” do ponto de vista técnico. O depoimento foi durante a última sessão da CPI, que visa apurar os desabamentos e indicar soluções para a via. O técnico fez questão de frisar que essa era a posição pessoal dele e que não representava a empresa.

Celso defendeu a Cedae sobre as recorrentes reclamações de que a tubulação da companhia teria sido determinante para o afastamento da ciclovia da Avenida Niemeyer e uma das causadoras da queda.

“A tubulação da Cedae já estava ali desde 1975, muito antes do projeto da ciclovia. Não é simplesmente tirar uma tubulação do local (…) E no ponto onde ocorreu a fatalidade, a tubulação da Cedae não passa pendurada, ela passa por dentro da Avenida Niemeyer. Neste trecho não existe nenhuma interferência do posicionamento da tubulação da Cedae com a ciclovia”, afirmou.

O engenheiro mostrou fotos aos vereadores presentes e disse que há anos é de conhecimento dos engenheiros do Rio que aquele é um trecho crítico pela recorrência de ondas ascendentes.

“Se observarem fatos históricos sobre aquele trecho da via, várias possibilidades de utilização da Gruta de Imprensa, desde 1926, já haviam sido consideradas, mas todas foram banidas porque era um ponto recorrente de levantamento de maré. Ali é um ponto crítico de pleno conhecimento social e de grande parte do corpo de engenharia da nossa cidade. E, justamente por isso, não passamos a nossa linha de transmissão aérea”, declarou.

A sessão da CPI aconteceu nesta terça-feira (05) e tinha como pretensão ouvir ainda representantes do INEA e do IPHAN. O Instituto Estadual do Ambiente, apesar de ter confirmado presença, enviou mensagem durante a sessão avisando que sua representante não poderia comparecer por motivos de saúde. Já o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional sequer respondeu ao convite.

Durante a reunião foi aprovado o envio das perguntas não respondidas pelo engenheiro para o corpo técnico da Cedae. Os parlamentares pediram ainda a decisão administrativa da empresa para o desvio da linha de transmissão de esgoto, no trecho da Gruta da Imprensa. Além disso, solicitaram ao TCM a cópia integral do processo que aprovou o edital para a construção da ciclovia.

Na terça-feira (12), não haverá sessão da CPI. Os parlamentares vão realizar uma vistoria técnica na ciclovia. A visita está agendada para começar às 10h. O ponto de encontro será o primeiro quiosque de São Conrado, próximo da Avenida Niemeyer. Técnicos da Geo-Rio e engenheiros independentes já confirmaram presença.

Na sexta-feira (15), acontecerá uma audiência pública sobre a ciclovia. O encontro ocorrerá, às 14h, no plenário da Câmara Municipal. Estão confirmadas as presenças de representantes da Comissão de Segurança dos Ciclistas, do Movimento “Não Vamos Esquecer” e do Ministério Público Federal. A prefeitura também será convidada.

Evento no facebook