Bancada governista barra investigação

O dia 12 de julho foi uma triste data para a cidade do Rio de Janeiro. Por 29 votos a 16, o pedido de investigação das irregularidades praticadas por Marcelo Crivella foi rejeitado. A bancada do PSOL foi favorável à investigação.

A votação aconteceu durante o recesso parlamentar, suspenso temporariamente, por pressão da oposição, para que os vereadores discutissem dois pedidos de impeachment contra o prefeito.

O clima ficou tenso dentro e fora do parlamento. Alguns apoiadores de Crivella chegaram provocar e a agredir os opositores do Prefeito em frente à Câmara Municipal.

O vereador Otoni de Paula chegou a ofender David Miranda, do PSOL, com gestos e xingamentos. David entrará com processos na justiça e no Conselho de Ética contra o parlamentar.

O vereador Renato Cinco foi o primeiro a falar. Em discurso, defendeu a abertura do processo de impeachment.

Veja a íntegra do discurso:

Com votação única, os dois processos apresentados – um pelo PSOl e outro pelo vereador Átila Nunes – foram rejeitados e arquivados. Agora, a Câmara entrará novamente em recesso, retornando aos trabalhos no início de agosto.