Orçamento da cidade: faltou transparência

Ao longo desta semana, a Câmara Municipal deveria promover um amplo debate sobre o orçamento da cidade para 2019, mas as audiências já realizadas falharam por seguir um método de apresentação que limita a discussão e a transparência.

O vereador Renato Cinco questionou a prefeitura sobre qual seria o valor necessário para oferecer um serviço de qualidade para a população, sem realizar o fechamento de unidades de atendimento e a demissão de funcionários.

No pouco que podemos analisar através da proposta orçamentária enviada pela prefeitura, fica evidente uma prioridade na destinação de verba para a segurança pública e uma inaceitável redução na verba da saúde. Vale lembrar que o serviço de segurança não é atribuição dos municípios e é de responsabilidade dos Estados.

Em 2016, a verba prevista para ações de segurança pública foi de R$ 498 milhões, passando para R$ 557 milhões em 2017; R$ 693 milhões em 2018 e uma previsão de R$ 694 milhões em 2019. Por coincidência o corte da já precarizada saúde pública carioca vai ter uma redução de R$ 725 milhões na previsão de gastos para 2019 quando comparada com este ano.

Veja a íntegra do discurso do vereador Renato Cinco sobre os problemas no debate do orçamento da cidade: