Seremos resistência: em defesa dos direitos democráticos e trabalhistas

O Brasil elegeu um candidato que defende a tortura e ataca a democracia. Mas, nós não podemos deixar a nossa energia se dissipar. “Temos que ter a clareza que dois tipos de direitos fundamentais estão sendo ameaçados no Brasil. Por um lado, os direitos democráticos (a liberdade de expressão, a liberdade de reunião, a liberdade de cátedra – já que o Projeto Escola Sem Partido é o carro-chefe da extrema direita para amordaçar profissionais da educação no Brasil). Também estão sob a ameaça os direitos trabalhistas”, destacou Cinco durante transmissão ao vivo no domingo (28), após o resultado eleitoral.

É fundamental que todos os setores que estiveram mobilizados em defesa da democracia durante o processo eleitoral sigam elaborando ações coletivas de resistência.

A bancada do PSOL na Câmara se movimentou e protocolou na Procuradoria Geral da República, no dia 24 de outubro, uma representação contra Jair Bolsonaro devido as graves declarações em ato de campanha, em São Paulo, no domingo (21) quando por videoconferência, Bolsonaro proferiu discurso de ódio contra seus opositores, atentando contra o Estado Democrático de Direito. Para nós do PSOL, o discurso configura, em tese, violação ao Código Penal: crime de ameaça (art. 147), incitação à violência (art. 286) e apologia de crime ou fato criminoso (art. 287).

Organize-se

Participe da Plenária do Mandato Renato Cinco (PSOL), que será na próxima terça-feira (6), às 18 horas, na Rua da Lapa, número 107.