Moçambique

O que acontece em Moçambique, Malawi e Zimbabwe é mais um triste episódio do que as mudanças climáticas promovem. Não por acaso, as pessoas mais pobres são as principais vítimas. No artigo “Moçambique e o preço pago pelos mais pobres pelo aquecimento global”, o cientista do clima Alexandre Araújo Costa aborda o assunto.

No texto, ele cita a extração do petróleo como uma das causas centrais dos desastres que o planeta vem sofrendo e que não tem nada de natural.

“A primeira questão é que o petróleo é trazido à baila de forma totalmente deslocada. Moçambique foi vítima sim, do petróleo. Não daquele que em tese poderia haver em seu subsolo (mas que pelo visto realmente não há), mas daquele que fora retirado do subsolo de outro lugar, queimado e despejado na atmosfera como CO2. De uma vez por todas, é necessário que caia a ficha: o aquecimento global, ao elevar a temperatura dos oceanos tropicais e aumentar a capacidade da atmosfera em armazenar vapor d’água, está produzindo e produzirá cada vez mais tempestades extremamente severas e mortíferas”.

Confira a íntegra do artigo, publicado originalmente no Brasil de Fato, no link abaixo:

https://www.brasildefato.com.br/2019/03/24/artigo-or-o-nome-disso-e-divida-climatica-nao-ajuda-humanitaria/?fbclid=IwAR1g5cFDEK9Y7-CtcG-WtXplK3MdbXiQN3v5IbBXh98OMCkVR4yXu1uHnFI