Tragédia carioca e a omissão de Crivella

Na noite da última segunda-feira (9), o Rio foi abatido por uma nova tragédia. Uma forte tempestade, somada com a incapacidade da prefeitura de gerenciar situações de crise, resultou na morte de 10 cariocas.

A “chuva atípica” que causa mortes e paralisa a rotina da cidade não é novidade no Rio de Janeiro. É a terceira vez, apenas em 2019, que uma tempestade deixa um rastro de destruição.

Infelizmente o governo Marcelo Crivella não adotou o mínimo de planejamento e destinação de recursos para evitar tragédias. Segundo dados disponíveis no Fincon (sistema oficial de acompanhamento das finanças e contas do governo municipal) e no Portal Rio Transparente, a Prefeitura do Rio só gastou 2,11% do montante disponível para prevenção de enchentes. A administração Crivella só usou R$ 6,35 milhões dos R$ 300,26 milhões disponíveis.

“O prefeito não apresenta para a sociedade um plano condizente com o tamanho da tragédia que ainda afeta centenas de milhares de cariocas que estão na inundação”, declarou o vereador Renato Cinco em discurso no plenário da Câmara Municipal.

Cinco também destacou a bravura do povo carioca que, sem contar apoio da prefeitura, precisou agir por conta própria para evitar danos ainda maiores. “Foi o povo pelo povo. Foram centenas de ações de heroísmo para resgatar vidas, mesmo por pessoas sem nenhum tipo de preparo no resgate,” enfatizou Cinco.

Veja a íntegra do discurso: