CPI das Enchentes convida prefeito Marcelo Crivella para dar explicações

A segunda sessão da CPI das Enchentes que aconteceu nesta quinta-feira (11) aprovou o convite ao prefeito Marcelo Crivella para Audiência Pública que acontecerá no dia 26 deste mês.

Os vereadores presentes deliberaram ainda que uma lista de 23 perguntas serão encaminhadas ao gabinete do prefeito e ele terá cinco dias úteis para respondê-las a partir do recebimento.

Na ocasião também foram aprovadas as convocações dos secretários de cinco secretarias e subsecretarias, entre elas: Casa Civil e Conservação e ainda de representantes da Defensoria Pública para que deem explicações e ouçam as populações atingidas pelas últimas chuvas na Audiência Pública.

Os professores convidados desta semana foram a professora Ana Lúcia de Paiva Britto da FAU/UFRJ e o também engenheiro e sanitarista Alexandre Pessoa Dias da Fiocruz. Os dois falaram sobre a estrutura e conservação da cidade para suportar as fortes chuvas que serão cada vez mais constantes por conta das mudanças climáticas. E relacionaram diretamente saneamento ambiental à saúde pública.

“O sítio do Rio de Janeiro é particularmente vulnerável, mas isso não significa que não se pode fazer nada para mitigar as consequências das chuvas”, disse Ana Lúcia.

O engenheiro Alexandre Pessoa afirmou que saneamento básico é uma questão de Direitos Humanos, “temos que ter uma racionalidade técnica e ambiental de que a prevenção é mais barata e muito mais efetiva”.

Ao final da sessão, o relator da CPI Renato Cinco, chamou atenção para problemas graves, “estamos numa cidade tropical, com três maciços e a gente não tem um plano de drenagem, não temos políticas. A gente tem que mudar a direção. A prefeitura hoje discute destruir a Floresta do Camboatá para colocar um autódromo, esse é o caminho? A mesma coisa em Realengo, o caminho é destruir 40% do Parque de Realengo para fazer condomínio? O caminho é fazer o PEU das Vargens para favorecer a especulação imobiliária? A gente não moveu um milímetro fora dessa rota que a cidade anda até hoje. São problemas históricos que a gestão Crivella aprofundou com o corte de verbas”.

Além da audiência pública que marcada para o dia 26, a partir as 14h, no Plenário da Câmara, foram anunciadas as próximas ações da CPI:

17 de abril – A CPI receberá a professora Suzana Kahn – COPPE UFRJ (presidente do Painel de Mudanças Climáticas) e o professor Sérgio Portela do Laboratório de Desastres e Saúde da Fiocruz. A partir das 13h, na sala das Comissões da Câmara de vereadores.

25 de abril – Os vereadores membros da CPI irão ao TCM requerer contratos firmados no município referentes aos serviços de drenagem na cidade. A data seria na semana passada, mas em luto à morte do ex-presidente da casa, Aloísio Freitas, a iniciativa foi cancelada.